Viver - Saúde

Combatendo a obesidade de forma certeira

7 de Novembro de 2022

A obesidade é o acúmulo de gordura em diversas partes do corpo e do organismo e está associada ao consumo excessivo de calorias, provenientes de alimentos com açúcares, gordurosos e industrializados. A retenção de gordura ocorre quando há ingestão de grandes quantidades de calorias e um déficit de queima.

Foto: Divulgação/ Pexels

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde e publicados no site do Governo Federal em junho de 2022, apontam que cerca de 96 milhões de brasileiros adultos estão acima do peso, o que representa 60% da população. O site ainda apontou que a cada quatro pessoas, uma está obesa.

A obesidade é um risco para a saúde, já que ela pode desencadear uma série de doenças graves, como hipertensão, diabetes, infarto, acidente vascular cerebral, entre outros. Por isso, é importante se prevenir.

Tipos de Obesidade

O índice de Massa Corpórea - IMC é o parâmetro usado para calcular o peso e, consequentemente, estabelecer se a pessoa está ou não acima do peso. A medida é estabelecida pela Organização Mundial da Saúde. O cálculo é feito dividindo o peso pela altura, elevando o resultado ao quadrado. Se o IMC estiver entre 18,5 e 24,9, significa que a pessoa está no peso ideal.

Existem vários tipos de obesidade e cada uma delas pode trazer uma complicação diferente. Um artigo publicado em fevereiro de 2020, no site do Hospital São Matheus, do Rio de Janeiro, mapeia os tipos mais comuns.

·         Obesidade abdominal: Acúmulo de gordura na região do ventre. Pode proporcionar risco de doenças cardíacas, diabetes, trombose e aumento de colesterol.

·          Obesidade periférica: Acúmulo de gordura na região das coxas e pode causar dilatação das veias, pode causar doenças cardíacas e diabetes.

·         Obesidade homogênea: A gordura está espalhada em todas as partes do corpo.

Combatendo a Obesidade

Comer doces, frituras e alimentos industrializados em excesso engorda! Para transformar o corpo é necessário mudar o estilo de vida: Se render a alimentos saudáveis como frutas, verduras e carnes magras.

A reeducação alimentar precisa estar associada a atividades físicas. Muitas vezes acompanhadas de profissionais.

Mas, se o desejo por mudar o comportamento é grande e falta dinheiro, a pessoa pode se inteirar pelo assunto por meio de pesquisas.

O site Tips 4 Life, por exemplo, reúne dicas importantes. Ele é especializado em orientar o internauta sobre alimentação saudável, emagrecimento, saúde e melhoria da qualidade de vida.

Importa dizer que o emagrecimento deve ocorrer de forma consciente e gradual. Dietas e remédios que prometem emagrecimento rápido podem ser prejudiciais ao organismo e não têm o efeito esperado a longo tempo.

A Importância do Nutricionista na Perda de Peso

Uma dieta balanceada é o principal propulsor de perda de peso. É preciso equilibrar alimentos naturais com o número de calorias ideais para que a gordura desapareça.

Ao contrário do que muitos acreditam, ficar sem ingerir alimentos por um grande período de tempo pode ser prejudicial para o emagrecimento.

A nutricionista Kelen Nardaleti explicou em um artigo publicado no site sanar saúde, que quando o corpo não recebe energia por meio dos alimentos, ele acaba acumulando gordura. É uma forma de proteção da vida humana, uma medida do organismo para buscar uma fonte de energia caso não receba por fontes externas.

Segundo dados da Política Nacional de Alimentação e Nutrição – PNAN, um adulto precisa consumir, em média, duas mil calorias por dia. Muitas pessoas não têm consciência da quantidade de calorias que cada porção de alimentos tem. Por isso, o acompanhamento profissional é importante no processo de emagrecimento.

Aquele lanche de fast-food, com sanduíche, batata e refrigerante, chega a ter cerca de 1.200 calorias; mais da metade do que um adulto precisa consumir em um dia.

O nutricionista tem a função de promover a saúde humana. Com base em exames, características físicas e morfológicas, é ele quem desenvolve dietas e programas alimentares com o foco no bem-estar do paciente.

A reeducação alimentar geralmente tem como base alimentos naturais e não necessariamente o paciente vai precisar preparar o alimento para cada refeição. Por causa da vida agitada, do grande número de compromissos que praticamente todas as pessoas têm durante o dia, os alimentos da dieta podem ser preparados com certa antecedência, com eletrodomésticos comuns, acessíveis e práticos, que toda casa tem, como liquidificador, mixer ou processador.

Uma dieta balanceada consiste em um bom café da manhã, um lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

Como é Feito um Plano Alimentar

No primeiro encontro com o profissional de nutrição, será realizada uma entrevista para que o nutricionista possa conhecer os hábitos alimentares e a rotina do paciente.

Será solicitada uma série de exames, visto que alguns fatores podem estar causando o ganho de peso ou dificultando a perda.

Com base na entrevista e no resultado dos exames, o profissional elabora um plano alimentar, que geralmente conta com refeições intercaladas de três em três horas, e quantidades específicas de alimentos, para que no fim do dia tenham sido ingeridas a quantidade ideal de calorias que o corpo precisa.

Em muitos casos, quando a dieta não é prescrita para atletas de alta performance, que necessitam seguir à risca para alcançar determinado objetivo, os nutricionistas incluem alimentos que têm o poder de engordar, mas que se ingeridos de forma consciente e em pequenas quantidades, não irão influenciar no processo de emagrecimento ou ganho de massa.

Um exemplo são as bebidas alcoólicas.

Em uma dieta, o que é levado em consideração são os ingredientes usados na bebida, e não o teor alcoólico.

Provavelmente o paciente poderá tomar uma bebida destilada, em vez de uma cerveja, que contém produtos fermentados, o que a faz ser mais calórica, por exemplo.

Atividades Físicas

O artigo “Atividade física e alimentação saudável para alcançar o peso adequado”, publicado em 2019 pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, aponta a educação alimentar como principal pilar do emagrecimento. As atividades físicas vêm em segundo lugar.

 A função da atividade física vai além da queima calórica. Ela fomenta as reações do corpo, melhorando as condições físicas e alterando as condições biológicas.

Entre os exemplos citados por especialistas estão:

·         Melhoria do sistema respiratório: Atividades físicas deixam os pulmões mais resistentes;

·         Cérebro estimulado: A prática de exercícios proporciona mais oxigenação no cérebro e pode proteger a pessoa do desenvolvimento de Parkinson, Alzheimer e Acidente Vascular Cerebral – AVC;

·         Ativa hormônios importantes: Hormônios como testosterona, adrenalina e cortisol, que influenciam diretamente no comportamento humano, aumentam por causa da prática de atividades físicas, influenciando no ânimo, humor, força do da pessoa.

A prática de atividades físicas frequentes deve estar além do desejo de seguir os padrões estéticos, mas no foco da saúde do corpo e da mente, como fruto da consciência da capacidade transformação da própria vida para melhor.

Redação: Bruna Bozano

Comentários
Assista ao vídeo