Colaboradores - Lica Gimenes

Mitos e Verdade sobre a Prótese Mamária, com Dr Raul Gonzalez

18 de Agosto de 2018

Depois de diminuir o tamanho do silicone em março de 2017, Xuxa Meneghel precisou passar por uma nova cirurgia. Segundo a assessoria de imprensa da apresentadora, a prótese "encapsulou", ou seja, foi rejeitada pelo corpo da “rainha dos baixinhos” e a outra, inverteu. Para corrigir o problema, Xuxa foi internada para colocar novas próteses, porém, com uma técnica diferente: o silicone agora está por baixo do músculo.

A Mamoplastia ou Mastopexia, cirurgias plásticas nas mamas estão entre as mais realizadas no Brasil, porem as pacientes trazem consigo muitas dúvidas e uma recorrente confusão sobre os procedimentos, portanto entrevistamos Dr Raul Gonzalez, Cirurgião Plástico renomado, para nos esclarecer as dúvidas mais recorrentes.

Xuxa - crédito Record TV
 

 

Por que a Prótese de “Xuxa Meneghel encapsulou? Teria como prever esse problema?

Dr RG: 

Após a inclusão de uma prótese de silicone na mama, o corpo desenvolve uma membrana fininha que funciona como um sistema de defesa. Essa película que envolve o implante e o isola tem o nome de cápsula.

Em um pequeno percentual de casos, que varia de 3 a 5 %, esta capsula fica mais espessa e se contrai. A cápsula ao se contrair começa a apertar a prótese, o que leva a uma rigidez do conjunto prótese cápsula. Além de causar desconforto pelo endurecimento que ocorre, esta contração pode tanto deslocar como mudar a forma da prótese, e por consequência a forma da mama.

Existem medicamentos que podem ajudar a evitar este problema, mas mesmo assim não há como prever como o corpo irá reagir para evitar a contratura. Até o momento se desconhece a causa da contratura com as próteses atuais.

 

Qual a vida útil de um implante mamário?

Dr RG: Os implantes atuais são produzidos com gel de silicone altamente coesivo e revestimento resistente, mas, apesar da longa vida útil que essas características lhes conferem, não são eternos. Não há um prazo fixo para troca.

A vida útil de uma prótese é algo imponderável e depende do organismo de cada paciente. Atualmente as próteses são muito mais resistentes e duram, em média, de 20 a 25 anos, mas poderão durar muito mais.

Na prática um controle anual do implante por meio de um exame de como ultrassom de rotina é suficiente para acompanhar o estado do implante.

É importante lembrar que o ultrassom das mamas deve ser feito no mínimo anualmente, e pelo resto da vida, como forma de detecção precoce de tumores da mama, ao realizar este exame o ultrassonografista visualiza e relata a condição do implante. Portanto, não é necessário um acompanhamento específico para as próteses, basta o ultrassom. 

 

Devo colocar a prótese de mamas por cima ou por baixo do músculo?

Dr RG: A minha preferência como médico é a Sub muscular, ou seja abaixo do músculo, pois a aparência é mais discreta e natural, evitando o famoso “efeito bola” muito comum em pacientes magras com próteses na frente do musculo. A pratica de esportes ou academia vigorosa não é contraindicação para a prótese sub muscular. Portanto, toda e qualquer mulher pode ter a prótese sub muscular, independente da anatomia.

Porém , a prótese por cima do músculo tem contraindicações: não deve  indicada para quem tem flacidez na mama e  quer colocar uma prótese muito grande, pois com o tempo, o peso dela pode fazer a mama cair.

Outra situação que pode acontecer nas pacientes magras e com pouco tecido mamário com próteses na frente do musculo é o efeito “rippling”, que é a ondulação normal que ocorre na prótese com a pessoa em pé ser visível na mama. Esta percepção visual da ondulação da prótese pode ser evitada pela cobertura do musculo.

 

Existe uma idade certa para operar as mamas?

Dr RG: Sim, recomenda-se a partir dos 16 anos, poie é a idade aproximada na qual a formação do tecido mamário chega a sua maturidade final, más cada caso deve ser analisado individualmente, pois é preciso que o desenvolvimento corporal esteja completo, e o ciclo menstrual pode ser usado como referência nesse caso e isso é muito particular de cada paciente, em média dois anos depois da primeira menstruação.

 

Plástica nas mamas atrapalha o aleitamento materno?

Dr RG: A prótese de mama quando usada somente para aumentar a mama não traz nenhum prejuízo para o aleitamento, independente da incisão usada, ou se o implante for embaixo ou acima do músculo. Entretanto, quando a prótese é associada a um levantamento da mama ou uma diminuição as chances do aleitamento sofrer diminuição do volume de produção do leite existem, o que dependerá da técnica usada e da complexidade do caso. Quanto maior for a complexidade do procedimento mamário realizado e quanto maior for a alteração imposta à anatomia do corpo da paciente, maiores serão as chances de problemas num futuro aleitamento, portanto o bom senso, mais uma vez, deve prevalecer tanto no que diz respeito ao médico, quanto no que diz respeito ao desejo do paciente.

 

Dr. Raul Gonzalez, autor do Livro Gluteoplastia passo a passo da Cirurgia do Contorno Posterior, é formado em medicina pela Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, onde fez residência em cirurgia geral. Especializou-se em cirurgia plástica junto à equipe do Dr. Roger Mouly, em Paris, e posteriormente junto ao Instituto Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro.

Em 1984, mudou-se para Ribeirão Preto, onde estabeleceu a Clínica Raul Gonzalez, hoje um hospital de pequeno porte. Dedica-se à prática e pesquisa da cirurgia plástica e reconstrutora por meio de constante atualização e estudo, frequentando e lecionando em congressos no Brasil e no mundo.

É membro efetivo de cinco sociedades internacionais de cirurgia plástica, incluindo a American Society of Aesthetic Plastic Surgery (EUA) e Societé Française de Chirurgie Plastique (França) e membro honorário de outras três sociedades.

 

Comentários
Programa Compartilha Brasil