Notícias - Motor

Lançamento: suspensões eletrônicas estreiam na Kawasak Ninja ZX-10R SE 2019

10 de Agosto de 2018

A nova Ninja ZX-10R SE é a prova de que os investimentos em pesquisa e desenvolvimento nos modelos de competição da Kawasaki têm sempre dois objetivos: torná-los vencedores nas pistas e trazer inovações às ruas. Por isso a motocicleta que chega à rede de concessionárias da marca no fim deste mês conta agora com as suspensões eletrônicas que foram campeãs do Mundial de Superbike em 2017, com o piloto britânico Jonathan Rea.

Com três opções de atuação para a dianteira e a traseira (Road, Track e Manual), as suspensões Showa da Ninja ZX-10R SE incorporam o Controle Eletrônico de Suspensão (KECS, Kawasaki Electronic Control Suspension), recente tecnologia desenvolvida pela marca que traz sensores e solenoides integrados às unidades de suspensão, garantindo que o sistema atue de maneira discreta e altamente eficiente.

Ao interpretar a informação dos sensores e outros itens, como aceleração, desaceleração e velocidade, o resultado é um sistema de suspensão preciso ao estilo Mundial de Superbike e, ao mesmo tempo, com excelente capacidade de amortecimento proporcionando um alto nível de conforto, confiança e mais facilidade de pilotagem.

Essa mescla entre performance e conforto faz com que pilotos mais experientes sejam capazes de explorar seus limites e permite que uma gama maior de motociclistas tenham um gostinho de como é conduzir uma máquina campeã mundial de Superbike da Kawasaki feita para as ruas.

Além deste novo pacote tecnológico, a Ninja ZX-10R SE possui rodas de alumínio forjado Marchesini, mais leves e resistentes, grafismos renovados e nova cor: Metallic Flat Spark Black. O modelo chega à rede de concessionárias da marca no fim de agosto com Preço Público Sugerido de R$ 93.990,00.

SUSPENSÕES ELETRÔNICAS MAIS AVANÇADAS: KECS (KAWASAKI ELECTRONIC CONTROL SUSPENSION)
Desenvolvido em conjunto com a Showa, o KECS adiciona amortecimento controlado eletronicamente na dianteira e na traseira em um sistema semi-ativo que adapta em tempo real as condições do trajeto e da condução à quantidade ideal de amortecimento exigida para cada momento. Combinando componentes mecânicos avançados, desenvolvidos para competição, com a mais recente tecnologia de controle eletrônico, o KECS oferece a flexibilidade para lidar com uma ampla gama de situações de condução em ruas e estradas e o firme amortecimento necessário para a pilotagem em pista. Outro ponto de destaque é que com o novo controle de suspensões os pneus são beneficiados, aderindo melhor ao piso e proporcionando maior confiança, especialmente em curvas.

  • O amortecimento é ajustado eletronicamente para se adequar à velocidade da motocicleta e à velocidade de variação do curso da suspensão. A desaceleração também é levada em conta, permitindo que a transferência de peso entre os eixos na frenagem seja controlada.
  • O controle é feito através de uma válvula solenoide com atuação direta (estágio único). Isso resulta em um tempo de reação extremamente rápido: 1 milissegundo –muito mais rápido do que sistemas similares que dependem de motor de passo, ou aqueles que usam válvulas de atuação em dois estágios, que diminuem a capacidade de resposta do sistema. O rápido tempo de reação torna o KECS ideal para utilização esportiva, na qual um “feeling” mais natural sobre a motocicleta é crucial para que o piloto se sinta em harmonia e no controle do equipamento.
  • Sensores de curso integrados no garfo e no amortecedor traseiro – um recurso exclusivo da Ninja ZX-10R SE – fornecem informações de velocidade e compressão do curso em tempo real. As bobinas do sensor fornecem dados à central eletrônica ECU a cada 1 milissegundo. Isto é complementado pelas informações fornecidas pela central inercial IMU (inclinação em aceleração ou desaceleração) e pela injeção eletrônica (velocidade da motocicleta). Assim o KECS direciona a corrente elétrica para os solenoides que ajustam o amortecimento, conforme exigido pela situação.
  • Componentes mecânicos de qualidade também são essenciais para a eficiência do sistema. O KECS da Ninja ZX-10R SE usa a tecnologia Showa Balance Free na dianteira e traseira (garfo BFF e amortecedor BFRC), com a mesma construção das suspensões das máquinas de competição do campeonato mundial usadas pela equipe oficial Kawasaki.
  • O piloto da Ninja ZX-10R SE pode escolher entre três modos de atuação: Road, Track e Manual. Os modos Road e Track proporcionam configurações respectivamente mais “suaves” ou mais “firmes” para atender a trajetos de rua ou circuito. O modo Manual permite ajuste das configurações de compressão e retorno de amortecimento de acordo com a preferência ou estilo de pilotagem. As configurações manuais (15 níveis cada) são selecionadas eletronicamente através do painel de instrumentos. Nos três modos, o KECS ajusta o amortecimento à velocidade da motocicleta, velocidade de variação do curso e desaceleração.


OUTRAS NOVIDADES DO MODELO
Além do KECS, a Ninja ZX-10R SE 2019 recebe os seguintes recursos:

Rodas Forjadas Marchesini Especialmente Projetadas
As rodas de alumínio forjado de 7 raios desenvolvidas em conjunto com a Marchesini contribuem para um manuseio mais leve da motocicleta, especialmente na mudança de direção. Oferecem equilíbrio entre alta resistência e inércia reduzida.

KQS (Kawasaki Quick Shifter)
O sistema KQS bidirecional permite tanto elevações de marcha quanto reduções sem utilização da embreagem, possibilitando o ganho de preciosas frações de segundo a cada mudança, bem como evitando a queda excessiva de rotações normal no processo de desengate e engate de marcha.


LANÇAMENTO: KAWASAKI Z900 RS CAFÉ - A ESPORTIVIDADE QUE VEM COM O CLÁSSICO

Nascida com o DNA da recém lançada Z900RS, a nova Kawasaki Z900 RS Café ostenta as mesmas raízes da quatro cilindros Z1 de 1972, mas oferece novos atributos ao melhor estilo cafe racer. 

Além dos mesmos recursos tecnológicos da Z900 RS, como suspensões ajustáveis com garfo dianteiro invertido de 41 mm, pinças de freio monobloco de montagem radial, embreagem assistida deslizante e o sistema de controle de tração KTRC, a versão Café oferece aos motociclistas uma segunda opção de moto retrô, trazendo um design ainda mais esportivo com itens exclusivos:

  • Bolha frontal Cafe Racer
  • Guidão baixo na cor preta
  • Assento Cafe Racer
  • Escapamento com acabamento em aço escovado
  • Cor Vintage Lime Green e grafismos exclusivos


Disponível na rede de concessionárias Kawasaki a partir do fim deste mês de agosto, a nova Z900 RS Café tem Preço Público Sugerido de R$ 49.990 (sem frete)

DESTAQUES TÉCNICOS DA KAWASAKI Z900 RS CAFÉ

MOTOR
A Z900 RS Café conta com motor DOHC de 16 válvulas e quatro cilindros em linha refrigerado a líquido de 948 cm³, configuração que oferece equilíbrio entre potência máxima e agilidade nas acelerações. O propulsor da nova versão é ajustado para uma aceleração progressiva que proporciona mais torque e respostas rápidas desde o início da aceleração, facilitando o controle por pilotos de todos os níveis de habilidade.

CHASSI
Chassi em treliça é rígido e sua geometria foi projetada para fornecer um manuseio fácil e natural, assegurando leveza e agilidade na pilotagem.  Assim como o motor, o chassi da Z900 RS Café responde ao comando do piloto de forma previsível e sem resistência.

SUSPENSÕES
O garfo dianteiro invertido de 41 mm contribui para o conforto na condução e potencial de pilotagem esportiva com segurança e estabilidade, se este for o desejo do piloto. A resposta é progressiva, oferecendo uma pilotagem divertida e tranquila na cidade ou numa estrada sinuosa. O garfo possui 10 ajustes de compressão e 12 de retorno, bem como ajuste de pré-carga de mola, permitindo uma configuração precisa para adequar-se à preferência do motociclista e seu estilo de pilotagem.

Ao contrário dos dois amortecedores traseiros da Z1 de 1972, a Z900 RS Café possui suspensão por um amortecedor com link. A escolha de suspensão mais moderna oferece um nível mais alto de esportividade, algo que os engenheiros da companhia faziam questão de proporcionar. Como o garfo, a suspensão traseira proporciona equilíbrio entre conforto e desempenho esportivo.

A suspensão traseira posiciona amortecedor e link acima do braço oscilante. Esse arranjo contribui para a centralização da massa, ao mesmo tempo em que garante que a suspensão esteja longe o suficiente do escapamento para que não seja afetada pelo calor. O amortecedor traseiro conta com ajustes de retorno e pré-carga da mola.

FREIOS, RODAS E PNEUS

A Z900 RS Café possui discos de freio dianteiro de 300 mm acionados por pinças monobloco de montagem radial de 4 pistões opostos. Na traseira freio de pistão único com disco de 250 mm. O modelo conta, ainda, com pastilhas de freio sinterizadas na dianteira e traseira, contribuindo para melhor controle e sensibilidade.

As rodas de liga leve remetem às clássicas rodas raiadas, conciliando baixo peso para melhor dirigibilidade e estilo diferenciado, enquanto o polimento nos raios e laterais dos aros reforçam a qualidade de acabamento da moto e os pneus Dunlop GPR-300 é mais um ponto de destaque retrô-esportivo.

PAINEL
O painel de instrumentos da Z900 RS Café apresenta velocímetro e conta-giros analógicos completados por uma tela LCD multifuncional com display negativo, uniformizando o layout de letras brancas em fundo preto e equilibrando a aparência retrô com funcionalidade moderna.

Além do indicador de marcha, as funções do mostrador incluem: hodômetro total, dois parciais, medidor de combustível, autonomia restante, consumo de combustível instantâneo e médio, temperatura do líquido de arrefecimento, temperatura externa, relógio e indicador de pilotagem econômica.

ELETRÔNICA E KTRC (CONTROLE DE TRAÇÃO KAWASAKI)
A nova Z900 RS Café está equipada com controle de tração. Dois modos cobrem uma ampla variedade de condições, oferecendo melhor desempenho em pilotagem mais esportiva ou tranquilidade para percorrer superfícies escorregadias com confiança.

O piloto pode escolher entre o Modo 1, que prioriza aceleração máxima , e o Modo 2, que proporciona segurança facilitando uma condução suave em superfícies escorregadias. O piloto também pode optar por desligar o sistema.

No Modo 1, a programação altamente sofisticada permite um certo grau de deslizamento do pneu traseiro para maximizar a aceleração. A taxa de deslizamento ideal varia de acordo com as condições. O sistema analisa vários parâmetros para obter uma avaliação precisa em tempo real: velocidade das rodas dianteira e traseira e vários parâmetros do motor, da moto e do piloto são monitorados.

Como o sofisticado software baseia sua análise dinâmica no chassi em relação à superfície da pista (em vez de em relação a um plano horizontal), pode levar em conta a inclinação de curvas, o gradiente etc. e adaptar-se adequadamente. Também se ajusta automaticamente a pneus de diferentes perfis, de alta aderência e vários outros fatores.

Usando uma complexa análise, o sistema é capaz de prever quando as condições de tração estão prestes a se tornar desfavoráveis. Ao agir antes que a derrapagem exceda os limites para tração ideal, uma eventual queda de potência pode ser minimizada, resultando em funcionamento ultra suave.

As condições são confirmadas a cada 5 milissegundos e o controle por meio do tempo de ignição permite uma reação extremamente rápida.

No Modo 2 (o que mais interfere entre os dois modos) a mesma lógica do Modo 1 é empregada durante a operação normal. No entanto, quando há deslizamento excessivo da roda traseira, o Modo 2 muda para um controle por três vias: ajustando o tempo de ignição, a alimentação de combustível e o fluxo de ar (através dos sub-aceleradores), para readquirir aderência rapidamente e de maneira precisa.  

No Modo 2, o KTRC permite ao piloto alternar trechos escorregadios curtos com segurança (trilhos de trem ou tampas de bueiro) e extensões maiores em estradas ruins (pavimento molhado, paralelepípedo, cascalho).

O sistema também é capaz de distinguir entre os wheelies de torque, que são suaves, e outros wheelies. No Modo 1, wheelies de torque são permitidos desde que a aceleração esteja em nível aceitável para segurança. Outros tipos de wheelie acionam a intervenção do sistema. No Modo 2, todos os wheelies são impedidos.

O sistema também é capaz de distinguir entre o levantamento da roda resultante de forte aceleração, que é suave, e outros tipos de empinada. No Modo 1, assumindo a intenção do motociclista de acelerar, o sistema permite a elevação da roda induzida pelo motor, na medida em que aceleração aceitável seja mantida. Outros tipos de elevação da roda acionam a intervenção do sistema. No Modo 2, o sistema atua para suprimir qualquer empinada.

Comentários
Programa Compartilha Brasil