Colaboradores - Lica Gimenes

A grande mudança para um seguro mais honesto e mais justo

7 de Agosto de 2018
Por Gustavo Vieira Doria Filho *

O seguro é um recurso utilizado a milênios para que a sociedade possa se proteger dos infortúnios imprevisíveis. Hoje, o setor vem passando por uma extrema transformação devido a evolução tecnológica, na medida que fica cada vez mais fácil conhecer as pessoas e os seu hábitos através dos aplicativos e redes sociais.

A principal transformação para o consumidor dos seguros mais populares, como o de automóvel, é a evolução do conceito de perfil para o de persona. Isso significa, de forma resumida, ser mais especifico com os hábitos de cada segurado, gerando um custo mais justo de acordo com o estilo de vida de cada um.

Um exemplo prático seria o meu caso: 55 anos, casado, morador de Itapuã, com dois filhos. Dirijo sempre de forma defensiva, evitando freadas bruscas e respeito os limites de velocidade. Porém, tenho um vizinho que tem o mesmo "perfil", mas ele é ex-piloto de kart, abusa das freadas bruscas e velocidade é algo normal para ele. É justo pagarmos o mesmo preço de seguro de automóvel?

Claro que não, mas enquanto as seguradoras fizerem o preço do meu seguro baseado no apenas no meu endereço, idade e composição familiar, estarei subsidiando o seguro do meu vizinho. O seguro é contrato baseado no mutualismo, ou seja, as pessoas do mesmo perfil tem o mesmo prêmio (o que a pessoa paga pelo seguro) e o preço final é baseado na experiencia, ou utilização, do seguro no ano anterior.

Com as tecnologias existentes, especialmente IOT - também conhecida como "internet da coisas" - é possível monitorar a forma que a pessoa dirige e, consequentemente, fazer o preço do seguro mais justo de acordo com o estilo de vida de cada um.

Outro ponto importante é que a Inteligência Artificial já vem sendo utilizada para a análise dos sinistros (evento que gera perdas para o segurado) e a máquina consegue ser mais criteriosa do que o olhar humano, prestando atenção a detalhes específicos e reduzindo de forma significativa o volume de fraudes.

Como já falamos, o principal componente do preço do seguro é o volume de indenizações pagas no ano anterior. Portanto, cada vez que alguém frauda um seguro de um Ford Fiesta 2017, por exemplo, todos aqueles que tem um veiculo similar vão ratear este prejuízo criminoso, pagando o preço do seguro do ano seguinte.

Assim, cada vez que a tecnologia de inteligência artificial evita que um fraudador utilize indevidamente a sua apólice, ela está garantindo um seguro mais justo para o restante da sociedade.

Todo desenvolvimento da tecnologia deve servir para melhorar a experiência do cidadão e oferecer mais qualidade de vida. A indústria do seguro vem investindo forte para garantir um seguro mais justo e honesto para proteger melhor a cada um de nós.

Gustavo Vieira Doria Filho, idealizador do CQCS Insurtech & Inovação.
 
Comentários
Programa Compartilha Brasil