Cultura - Música

Anna Ratto lança Tantas

30 de Julho de 2018
Divulgação

A palavra que melhor traduz o novo álbum da cantora e compositora Anna Ratto  está no título: Tantas. É assim, plural e renovada, que ela surge em seu quinto CD, primeiro pela Biscoito Fino. Disco de intérprete - Anna assina apenas uma canção, em parceria com Jam da Silva-, a ideia foi dar voz a compositores do entorno. “Queria gravar essa gente talentosa da minha geração (ou até depois da minha) que tem produzido coisas incríveis. Gente que tá por perto ou nas minhas pesquisas. Já gravei muitos ídolos consagrados, como Gil, Erasmo, Tom Zé. Neste disco quis cantar os meus "jovens ídolos" e estar mais comprometida com o meu canto, ser canal, sem a obrigação de compôr", define Anna. "Meu ultimo projeto (CD e DVD ao vivo)  era um apanhado da minha carreira, fechava um ciclo de trabalhos. Queria experimentar novas ideias", define Anna. 

 

O novo álbum de Anna Ratto marca também o início de uma parceria com dois produtores conectados a várias e novas sonoridades, do pop à música eletrônica: Jr Tostoi (guitarrista e produtor) e  Marcelo Vig (baterista, DJ, produtor). “Chamei o Vig para pensar comigo esse novo caminho. Foi quando convidamos o Jr Tostoi, que eu já admiro de trabalhos que ele faz com Lenine e outros artistas. "Vinha sentindo falta de ousar mais, sem medo de recursos como programações e elementos eletrônicos. Nos trabalhos anteriores minha música era mais lúdica, tinha uma brejeirice nos arranjos, na estética, que faziam parte daquele momento. Esse álbum continua solar, mas tem uma densidade e uma atitude novas. Tem a ver com a maturidade, claro", pondera.

"Nesse apanhado de compositores, fui buscar canções inéditas de Caio Prado, Matheus Von Krüger, Ana Clara Horta, Rodrigo Maranhão, Bruna Caram e Duda Brack. Das releituras, Tostoi me apresentou “Aviéntame”, do grupo mexicano Cafe Tacvba (trilha sonora de "Amores Perros"), gravada em espanhol, e me lembrou de “Pode Me Chamar”, da incrível Banda Eddie, e de "Pra Você dar o Nome", do grupo 5 a Seco. “Inemurchecível”, de João Cavalcanti, foi a minha primeira escolha pra esse disco. É minha predileta do disco solo do João e cantamos juntos num show meu", define. “Desde o primeiro encontro a gente viu que estava em total sintonia, principalmente por conta do repertório. Tudo batia”, conta Jr. Tostoi. Para Marcelo Vig, houve uma escolha cuidadosa de canções que tivessem a ver com a sonoridade que a Anna buscava. “A gente se permitiu experimentar em estúdio e com muita calma, para ver no que ia dar. Eu e o Tostoi somos muito próximos, mas nunca tínhamos produzido juntos”.

Comentários
Programa Compartilha Brasil