Colaboradores - Tânia Voss

Com exclusividade Léo Jaime fala da carreira e sucesso

26 de Julho de 2018

Dois grandes amigos se uniram e hoje fazem a diferença no palco em forma de dupla. Leo Jaime e Leoni, nomes que marcaram uma geração, lotam as casas de shows por todo o Brasil, com seus sucessos que não saem dos corações dos amantes da boa música popular brasileira. Agora estão em São Paulo para mais uma grande apresentação.

Parceiros desde o início de suas carreiras, Leo Jaime e Leoni já estiveram juntos muitas vezes no palco. Em 1998, há exatos vinte anos, fizeram o show “Fotografia”, em teatros, com os repertórios dos dois, sem nenhum outro músico. Agora, retomam a ideia neste novo espetáculo em que estarão no palco ao mesmo tempo, o tempo todo. É mais do que um show dos dois artistas: é um artista novo, uma dupla urbana ou, melhor, uma banda nova.

Leoni assume o baixo, na maior parte do tempo, como nos tempos de Kid Abelha e Heróis da Resistência. Leo toca uma guitarra, Ricardo Palmeira, a outra. Os teclados ficam sob a responsabilidade de João Pompeo, enquanto Alexandre Fonseca se encarrega da bateria. Uma formação enxuta, mas versátil, para executar as canções de mais de três décadas de carreira.

O repertório, com cerca de 30 canções, é recheado de sucessos, como Garotos II, Nada Mudou, Exagerado, Rock Estrela, Como Eu Quero, Pintura Íntima, Mensagem de Amor e Só pro Meu Prazer. Entram ainda, claro, várias parcerias dos dois. É o caso de Solange, Fotografia e A Fórmula do Amor.

Esta última ganha um sequel mais maduro, desdenhando das idealizações amorosas, mas que, nem por isso, deixa de ser um convite à dança e à celebração. A Fórmula do Amor II é o primeiro single de LEONI E LEONARDO, e não será a única surpresa desse espetáculo. Em São Paulo, o show acontece no Tom Brasil, dia 28 de julho às 22 horas.

 

Um multi-artista completo, Leo Jaime é cantor, compositor, ator e jornalista goiano e já começou a brilhar desde o final dos anos 70. Primeiramente com o ex-Titãs Arnaldo Antunes e com Eduardo Dusek. Mais tarde com o grupo João Penca & Seus Miquinhos Amestrados, no início dos anos 80. Em 1983, deixou João Penca e seguiu a carreira solo.

Confira o que pensa Leo Jaime, um ser humano maravilhoso com um coração maior que o mundo: 

CV- Como e quando surgiu a ideia da parceria de vocês. Léo e Leoni?

"Isso foi há tanto tempo que nem saberia dizer. Mas começamos a escrever canções quando dividíamos o aluguel de um apartamento. Estávamos no início da carreira e, coincidentemente, toda hora estávamos trabalhando em alguma canção. Ai pedir ajuda ao amigo era natural. Não tinha nem que marcar de encontrar."

CV- Essa dupla urbana deve continuar com os shows nesse estilo e também separadamente? Como seguem as carreiras com todo esse sucesso?

"Nossa ideia era fazer este show como um encontro, uma celebração. Não para ser um projeto definitivo. Continuamos fazendo nossos shows separadamente e devemos fazer este nosso espetáculo durante um breve período. Se o público quiser e deixar, é claro."

 

CV- Como foi a escolha do repertório com tantos sucessos de vocês dois?

"A arte de escolher o que deixar de fora. Tínhamos um critério que era usar os arranjos originais. Leoni tocando baixo, o que ele não fazia há décadas e eu na guitarra, os dois parte de uma mesma banda. No fim acabamos escolhendo um trecho do show para ficarmos só os dois no palco, o que nos dá a oportunidade de acrescentar alguma coisa extra."

 

CV- Como veem a música popular brasileira hoje? Saudades de alguns nomes que estão fora da mídia? Quem, por exemplo?

"São raros os nomes do mundo pop/rock ganhando a grande mídia hoje em dia. isto vale para os novos tanto quanto os antigos nomes. Gostaria de ver mais música juvenil e urbana nas rádios e TVs." 

CV- Surpresas do show, além das novas versões e um recado aos amantes do Rock e da MPB.

"Temos uma música nova que abre o show e já está nas plataformas digitais. Em alguns dias lançaremos outra. São os registros deste nosso divertido encontro e velha parceria e amizade. Claro que podem pintar mais coisas." 

Comentários
Programa Compartilha Brasil