Colunistas - Rodolfo Bonventti

Dois irmãos disputavam a mesma mulher no ensolarado verão carioca

24 de Julho de 2018

Em 160 capítulos, Gilberto Braga com a colaboração de Manoel Carlos, trouxe no início dos anos 80, para o horário nobre das 20 horas da TV Globo, com a estréia da novela “Água Viva”, a vida dos emergentes e dos ricos que viviam à beira mar na cidade do Rio de Janeiro em um ensolarado verão.

Um dos grandes sucessos do horário nos anos 80, a novela serviu para recuperar os índices que a emissora havia perdido com a história anterior, que foi “Os Gigantes” de Lauro César Muniz e também marcou a estréia na emissora do grande ator Raul Cortez, que vinha da TV Tupi.

A história falava de dois irmãos na faixa dos 40 anos de idade, o playboy Nelson, interpretado por Reginaldo Faria e o cirurgião plástico Miguel Fragonard, vivido por Raul Cortez, que se interessavam pela mesma mulher, a bonita e divorciada Ligia, com dois filhos, papel defendido por Betty Faria.

Ao redor deles gravitavam ricos em ascensão e aristocratas decadentes, que no dia a dia eram obrigados a conviver com a classe média nos bairros de alto padrão e defronte para o mar de Copacabana, Leblon e Ipanema.

Em “Água Viva” o público se deliciava com as inúmeras festas e excentricidades da milionária Stela Simpson, um grande trabalho de Tonia Carrero, que estava lindíssima e ditou a moda na época, mas também com a decadência da aristocrática Lourdes Mesquita, uma ótima vilã criada por Beatriz Segall.

No outro lado se emocionava com o drama da menina Maria Helena, vivida muito bem por Isabela Garcia, que órfã procurava descobrir quem era seu pai, e para isso contava com a luta da guerreira Suely, um bom trabalho de Ângela Leal.

E na parte jovem a linda história de amor do recém formado médico Marcos, papel sob medida para o cantor e ator Fábio Junior interpretar, com a decidida e lutadora Janete, cheia de idéias libertadoras, vivida por Lucélia Santos com muita competência.

Além de um cenário lindíssimo que era formado pelas belas praias da Zona Sul do Rio de Janeiro, “Água Viva” tinha a seu favor ser exibida durante o verão de 1980, o que conquistou o público. As cenas internas contavam também com belos apartamentos que valorizavam a boa vida dos ricos na Cidade Maravilhosa.

Com direção precisa de Paulo Ubiratan e Roberto Talma, dois mestres da teledramaturgia da TV Globo, a novela também foi um grande sucesso em vários países, entre eles, Itália, Portugal, Argentina, Paraguai e Canadá.

O elenco era uma atração a parte com brilhantes desempenhos de veteranos como Raul Cortez, Tonia Carrero, Beatriz Segall, Reginaldo Faria, Betty Faria, Angela Leal, Cláudio Cavalcanti, Natália do Valle, Mauro Mendonça, Eloisa Mafalda, Arlete Salles, Aracy Cardoso, José Lewgoy, Tetê Medina, Milton Moraes, Maria Helena Dias, Carlos Eduardo Dolabella, Maria Zilda e Ivan Cândido, entre muitos outros.

Mas o elenco jovem não deixava por menos e trazia nomes em consagração como Lucélia Santos, Fábio Junior, Glória Pires, Kadu Moliterno, Maria Padilha, Jorge Fernando, Tamara Taxman, Fernando Eiras e Ísis Koschdoski, além de apresentar uma grata revelação, a então jovem estrelinha Isabela Garcia.

Comentários
Programa Compartilha Brasil