Cultura - Teatro

Santa Víscera Teatro estreia Dario Fo em Dose Dupla

2 de Julho de 2018

O projeto DARIO FO EM DOSE DUPLA, do Santa Víscera Teatro, chega aos palcos da capital paulista com estreia dia 6 de julho, sexta-feira, às 21 horas, no Hangar Teatro, na Barra Funda. União dos solos O Primeiro Milagre e Sempre Aquela Velha História... ambos do italiano Dario Fo e sua esposa Franca Rame e dirigidos por Graciane Pires, o projeto traz os espetáculos apresentados na sequência.

O Primeiro Milagre, com o ator Marco Antonio Barreto, mostra um olhar cômico e diferente da saga do menino Jesus, desde seu nascimento até o dia em que realiza o seu primeiro milagre. Com uma linguagem provocativa, Sempre Aquela Velha História..., com Graciane Pires, leva à cena as dificuldades e prazeres do universo feminino vistos na perspectiva de uma mulher em situações limites do cotidiano.

 Para a diretora e atriz Graciane Pires os solos, econômicos nos meios e ricos em expressividade, tem foco no trabalho dos atores. “Propomos a apresentação teatral em sua forma mais essencial com apenas um ator em cena, frente a frente com o público, utilizando toda a sua capacidade criativa e o mínimo de recursos cênicos para contar sua história”. A diretora também conta que a ideia de apresentar dois textos de Dario Fo na sequência é a oportunidade de juntar temáticas para reflexão. “Os textos do autor, embora sejam mais enxutos, sempre trazem margem para bons debates, pois tratam de forma ácida temas delicados”.

 DARIO FO EM DOSE DUPLA dá continuidade ao trabalho do Santa Víscera Teatro voltado a autores clássicos, como Enquanto Você Dorme, inspirado em obras de Edgar Allan Poe, Guy de Maupassant e John Collier, que cumpriu em junho uma temporada no Sesc Tijuca, no Rio de Janeiro.

 O Primeiro Milagre

Baseado no evangelho Apócrifo de São Mateus, o solo é uma parábola que revela os valores humanos da Sagrada Família e conta a história desde o nascimento do menino Jesus até o dia em que ele realiza o seu primeiro milagre. Uma curiosidade é que os evangelhos apócrifos retratam Jesus com uma série de superpoderes, ele aparece: voando, cuspindo fogo, se transformando em serpente, cavalo, leão. Desaparece um lugar e aparece em outro, uma infinidade de peripécias, que nas mãos de um excelente contador de histórias como Dario Fo, ganham colorido, emoção, certo exagero e muita inventividade.

 Em cena, o ator Marco Antonio Barreto se multiplica no palco fazendo mais de 25 personagens, que contracenam entre si e trazem ao público a infância de Jesus de maneira inusitada. “A proposta é abordar a paixão de Cristo olhando para seu lado mais humano. E assim, podemos ver a (des)construção da figura universalmente conhecida de Jesus Cristo, de forma a concretizar um espetáculo que satiriza sem ofender, que diverte sem escrachar. A figura de Jesus na montagem, não tem um caráter anti ou pró-religioso, pois aborda a ideia do mito, as mistificações e desmistificações em relação às pessoas e seus comportamentos”, conta a diretora.

 Sempre Aquela Velha História...

Com criação e atuação de Graciane Pires, o espetáculo foi resultado da pesquisa pessoal da atriz e diretora, que propõe uma relação entre o autoconhecimento e o trabalho do ator. O espetáculo retrata a história de uma mulher sem nome. Esta “falta de identidade”, nos remete a um arquétipo, modelo que é proposto na encenação como “mulher-objeto”.

 Elegeu-se então, a figura feminina da boneca como inspiração na criação cênica do cenário, figurino, maquiagem e adereços. A figura da boneca, nesse caso, é associada de duas formas diferentes e ambíguas: a boneca infantil frequentemente associada tanto à infantilidade, delicadeza, brincadeira, e a boneca inflável, associada ao fetiche, um objeto facilmente manipulado. “Busca-se, ao reunir essas duas imagens opostas, sublimar a crítica que o texto propõe deixando livre para que cada espectador, de sua própria maneira, uma identificação”, completa Graciane.

  Para roteiro:

 DARIO FO EM DOSE DUPLA – De 6 de julho a 7 de setembro, sextas-feiras, às 21 horas, no Hangar Teatro. Com Santa Víscera Teatro. Textos – Dario Fo e Franca Rame. Adaptação – Graciane Pires e Marco Antonio Barreto. Direção – Graciane Pires. Atuação e Pesquisa – Marco Antonio Barreto e Graciane Pires. Iluminação, Figurino e Cenário – Fábio Fialho. Produção – Fábio Fialho. Duração – 90 minutos. Recomendado para maiores de 16 anos. Ingressos – R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada), a venda pelo site www.meuingresso.com

 HANGAR TEATRO – Rua Conselheiro Brotero, 305 – Barra Funda. Telefone – (11) 96454-8277. Bilheteria – De segunda-feira a domingo das 15h às 22h. Capacidade – 40 lugares.

Comentários
Programa Compartilha Brasil