Colaboradores - Tânia Voss

Entrevista internacional e exclusiva para o Cartão de Visita: Dan Costa

2 de Julho de 2018

Apos ter gravado o primeiro álbum "Suite Três Rios", no Rio de Janeiro, Dan Costa está lançando seu segundo trabalho, gravado na Itália, que conta com as participações dos brasileiros Roberto Menescal, Romero Lubambo, Nelson Faria e Teco Cardoso, e do saxofonista americano Seamus Blake. 

O novo álbum reúne peças originais do compositor, inspiradas no jazz, na música brasileira, no fado e no  flamenco. O material está disponível no iTunes e no site do artista: www.dancosta.net.

O artista se apresentou pelo mundo em diversos países como  Egito,  Itália, Índia, Chipre, Grécia, Brasil, Israel etc, e sua paixão pelo Brasil é registrada em suas composições com muita doçura.

Dan Costa, pianista e compositor europeu, lançou seu primeiro álbum instrumental 'Suite Três Rios', gravado no Brasil em 2017, com participações de Jaques Morelenbaum, Leila Pinheiro, Teco Cardoso e Marcos Suzano, entre outros. O título do disco teve como inspiração o “encontro das águas” na Amazônia, marcado pelo encontro do Rio Negro com o Rio Solimões.

O CD completo está disponível em várias plataformas, como são iTunes e Amazon, e já alcançou o primeiro lugar de vendas de Jazz no iTunes e o TOP 10 dos mais vendidos no iTunes Portugal.'Suite Três Rios' traz oito composições inéditas de Dan, que também fez os arranjos e a produção do disco, gravado apenas com músicos brasileiros.

Foto: Alon Levin
 

Dan Costa, um artista completo da nova geração, falou da carreira e do amor pelos artistas brasileiros: 

CV- Quando descobriu seu dom, sua vontade em tocar piano.

"Meus pais, e principalmente minha mãe, sempre gostaram de música, ao ponto de quererem que eu tivesse aulas de piano quando tinha 6 anos. No começo não deu muito certo, já que minha alma estava virada para outros interesses como o esporte. Mais tarde, porém, quando tinha 11 anos fiz questão de me iniciar na arte de tocar piano, e as primeiras musicas que toquei, para além do repertório clássico, foram a cancão pop "Imagine" do John Lennon e, mais tarde, a bossa nova "O Barquinho", do Menescal, quando comecei a me interessar pela improvisação e pelo jazz. Quem diria que depois me diplomaria na escola de musica de Sir Paul McCartney, em Liverpool, e que estagiaria na UNICAMP, em São Paulo, durante meu curso universitário de jazz, que me permitiu abraçar o universo da música popular e erudita brasileira. Coincidências da vida rs."

CV- Quais suas influências musicais, seus ídolos. E o que você escuta em casa?

"Neste momento continuo escutando muito jazz americano, europeu e brasileiro, principalmente moderno, mas melódico, e vários estilos da chamada World music, oriundos da Espanha, da Índia e do mundo árabe. Sou também fã de muitos dos artistas da gravadora alemã ECM, e tive a chance de gravar este meu segundo álbum no estúdio Arte Suono, na Itália, que colabora frequentemente com esta empresa. Tive também a sorte de reunir neste ultimo trabalho alguns dos artistas que mais admiro como o saxofonista americano Seamus Blake, e os brasileiros Roberto Menescal, Romero Lubambo, Nelson Faria e Teco Cardoso, com o qual já havia colaborado no meu álbum anterior."

 

CV - Pretende fazer shows no Brasil?

"Noticias estarão em breve no site www.dancosta.net."

Foto: Alon Levin
 

CV- Qual seu artista preferido aqui no Brasil?

"Gosto muito da estética musical do Caetano Veloso e do Gilberto Gil, da voz e presença da Ivete Sangalo, do calor vocal da Wanda Sá e da elegância timbristica do Emílio Santiago e da Leila Pinheiro, com a qual tive o prazer de colaborar. No que diz respeito ao jazz instrumental, o Trio Corrente, o Andre Mehmari e o Cesar Camargo Mariano são alguns dos artistas que mais me inspiram."

Comentários
Programa Compartilha Brasil