Colaboradores - Lica Gimenes

Saiba porque o seguro viagem é item indispensável no planejamento das suas férias

27 de Junho de 2018

O mês de julho está chegando e com ele, a temporada de férias. Antes de sair de viagem, é comum organizar tudo para que nenhuma surpresa desagradável aconteça, mas, mesmo depois de planejar cada detalhe, imprevistos podem acontecer. Uma mala extraviada, um mal-estar durante um passeio ou um acidente, são alguns exemplos de acontecimentos totalmente inesperados que necessitam de suporte e uma garantia de proteção.

Uma dúvida recorrente quando planejamos uma viagem internacional é sobre contratar ou não um seguro viagem. Muitos imaginam que se trata apenas de um gasto a mais no orçamento, porém, vale a pena avaliar todos os benefícios oferecidos pela proteção que pode, inclusive, evitar gastos extras em caso de imprevistos. Geralmente o seguro, na impossibilidade de contato ou utilização da rede de serviços autorizada, garante o reembolso das despesas médicas em caso de acidente pessoal ou enfermidade súbita ocorridas exclusivamente durante o período de viagem ao exterior e constatada a sua saída do país de domicílio. Incluindo também prestação de serviços em ocasiões de extravio de bagagem, cancelamento de viagem, e outras situações.

Além da compra das passagens, reservas de hotéis, programação de roteiros, melhores dias para embarque e desembarque, o seguro viagem é um item de extrema importância, é uma ferramenta de segurança, que dá proteção ao segurado do início ao fim da viagem. “Existem continentes como Europa e Austrália, que impedem a entrada de turistas que não tenham adquirido um seguro. É ele quem vai manter a garantia de atendimento médico e hospitalar, cobertura de extravio de bagagem, incluindo equipamentos eletrônicos. O viajante não vai precisar gastar com taxas para alterações de viagem e terá um reembolso para o caso de cancelamento da viagem”, afirma o diretor do Grupo Segurador, Paulo Martimbianco.

Nem todo mundo gosta de pensar nas possibilidades de uma viagem de férias dar errado, e ninguém quer ter problemas quando o passeio é justamente para aliviar a cabeça, é por isso que o seguro viagem se faz ainda mais necessário. “Um atendimento médico hospital nos Estados Unidos, por exemplo, pode custar quase R$ 10 mil. Um problema com extravio de bagagem durante uma viagem internacional pode chegar a US$ 5 mil, que equivale, aproximadamente, a R$ 18 mil e ninguém quer ter esse tipo de despesa extra, é aí que entra a cobertura do seguro”, comenta.

Paulo Martimbianco
 

Nas viagens nacionais, os principais riscos são as ocorrências de doenças e acidentes. Muitas vezes o turista tem um convênio médico, mas é regional, ou seja, não vai ser útil em outros estados. Essa é mais uma vantagem do seguro, se o turista estiver no Nordeste e precisar de atendimento médico-hospitalar, o seguro vai cobrir todas as despesas.

O que muita gente não sabe, é que existem seguros de diversos preços e coberturas para garantir que sua viagem seja um sucesso. Por isso, antes de viajar, é essencial que o turista tenha um seguro viagem para que esteja amparado em qualquer situação.

“O seguro não é um valor tabelado, é similar a uma cotação de passagens e é calculado de acordo com a data da viagem. Para estabelecer o valor é feito uma estimativa dentro da data informada, o valor é sempre em dólar e convertido no câmbio da seguradora”, finaliza Martimbianco.

Para Denise Longarezi da World Study Intercâmbio Ribeirão Preto, um dos itens mais importantes de qualquer viagem é o Seguro Viagem. "Ele é obrigatório em alguns países da Europa e é altamente recomendável que você também faça nos outros, principalmente se for viajar para países que não têm sistema de saúde público, como os Estados Unido. " afirma. 

Denise Longarezi, durante viagem a acapamento nos EUA.
 

"Deixamos sempre o aluno livre para optar pelo seguro que lhe convier, porem algumas diferenças tem que ficar claras para o mesmo, saliente Denise. Ao programar uma viagem para o exterior e pagar no cartão de crédito, o mesmo, acaba tendo a opção de contratar um seguro, porem nem sempre eles sabem a diferença desse tipo de seguro para o seguro viagem tradicional, e é necessário ter atenção sobre as definições de cada um, entender suas diferenças para não ter surpresas." finaliza Longarezi

Comentários
Programa Compartilha Brasil