Notícias - Motor

Rafael Paschoalin conquista, com sua Yamaha MT-09, o terceiro lugar em Pikes Peak

27 de Junho de 2018

Correndo na categoria middleweight pela primeira vez com uma MT-09, Paschoalin fica a 2s da segunda colocação, conquistada pelo piloto com maior número de vitórias em mais de 100 anos de competição.

FOTOS: LARRY SHEN

Mais uma vez Rafael Paschoalin e Yamaha fizeram história em Pikes Peak, a famosa e desafiadora corrida de subida de montanha, disputada no Colorado, Estados Unidos.

Rafa, pilotando uma Yamaha MT-09, conquistou o terceiro lugar na categoria Middleweight. Ele foi capaz de percorrer os 20 km de subida até o topo de Pikes Peak em apenas 10min 04s – a dois segundos de segundo colocado, Davey Durelle, o maior vencedor da competição de todos os tempos.

Esta é a terceira vez que o piloto da Yamaha disputa essa prova. No ano passado, ao guidão de uma Yamaha MT-07, Paschoalin conseguiu um histórico segundo lugar na categoria middleweight, até então, disputada por motos com capacidade cúbica entre 501 e 750cc.

FOTOS: LARRY SHEN

Neste ano, uma repentina mudança no regulamento, que ampliou a capacidade cúbica da categoria middleweight para 850cc, fez com que a vantagem conquistada em termos de desenvolvimento de sua MT-07 fosse perdida, voltando à estaca zero todo o trabalho necessário para tornar sua nova moto, a Yamaha MT-09, em uma máquina ainda mais competitiva.

Segundo Rafael, a Yamaha MT-09 tem grande potencial para vencer em Pikes Peak. Embora tenha tido pouco tempo para desenvolver sua moto, o piloto da Yamaha Racing afirma que o enorme torque de seu motor, a agilidade do modelo e seus freios poderosos são seus grandes trunfos. "Cabeça erguida pelo empenho de todas as pessoas que estiveram ligadas a esse projeto. Não fiquei feliz com o resultado mas entendi que depois de tantos problemas só o fato de participar da prova já foi válido! Depois que os problemas se foram pude curtir a pilotagem da minha Yamaha MT-09 na subida de montanha mais insana que existe e essa sensação já me faz pensar na prova do ano que vem. Voltaremos mais fortes em 2019! ”, declarou Paschoalin ao final da competição.

FOTOS: LARRY SHEN

PIKES PEAK, A CORRIDA PARA POUCOS

Peculiar, famosa e para poucos. PPIHC (Pikes Peak International Hill Climb) é uma corrida centenária que elege – entre diversas categorias de motocicletas e carros – o piloto mais rápido a subir uma sinuosa estrada com 20 km de percurso e nada menos que 156 curvas dos mais variados raios. Em alguns pontos, é preciso reduzir da quinta para a primeira marcha!

FOTOS: LARRY SHEN

A largada acontece a cerca de 2300 m de altitude e a chegada a mais de 4300m. Na prática, isso afeta diretamente na performance das motos e seus pilotos, já que em função do ar rarefeito, as motocicletas perdem desempenho e os pilotos sofrem pelo cansaço.

Mas os desafios não param por aí. Da largada à chegada em Pikes Peak, a queda de temperatura pode superar os 20 graus, muitas vezes gerando o eminente risco do asfalto congelar nas curvas finais do percurso e consequentemente comprometendo a aderência dos pneus.

Levando em conta que a maior parte das curvas são à beira de precipícios, sem qualquer tipo de proteção ou contenção, além da perícia e habilidade, Pikes Peak é uma corrida para poucos... E corajosos!

FOTOS: LARRY SHEN

SOBRE A YAMAHA MOTOR DO BRASIL

A marca dos três diapasões – menção ao conhecido escudo com três diapasões sobrepostos, se estabeleceu no Brasil em 1970 com a Yamaha Motor do Brasil Ltda. Foi a primeira fabricante de motocicletas a se instalar efetivamente no País. Já em outubro de 1974 passou a produzir em Guarulhos, São Paulo, o primeiro modelo nacional, a Yamaha RD 50. Em 1985 se estabelece em Manaus, Amazonas com uma segunda unidade fabril, a Yamaha Motor da Amazônia Ltda. Hoje são 56 diferentes versões e 27 modelos de motocicletas, 10 modelos WaveRunner (veículos aquáticos), 26 modelos de motores de popa e uma Rede com mais de 340 concessionárias e pontos de venda autorizados e capacitados no atendimento e serviços com qualidade. O Grupo Yamaha Motor no Brasil é constituído por oito empresas, como a Yamaha Motor do Brasil Ltda, Yamaha Motor da Amazônia Ltda, Banco Yamaha Motor do Brasil S/A, Yamaha Administradora de Consórcio Ltda, Yamaha Motor do Brasil Corretora de Seguros Ltda, Yamaha Motor Componentes da Amazônia Ltda, Yamaha Motor do Brasil Serviços e Participações Ltda e a Yamaha Motor do Brasil Logística Ltda. Fazem parte do grupo também as subsidiárias Yamaha Motor Selva del Peru S/A, Yamaha Motor Uruguai S/A e Yamaha Motor Argentina S/A. A Yamaha do Brasil é um importante polo produtor e exportador para grupos seletos e exigentes como, Europa, Estados Unidos, Canadá, Japão, Oceania e Mercosul.  

 

Comentários
Programa Compartilha Brasil