Colunistas - Rodolfo Bonventti

O nosso Alain Delon baiano

18 de Junho de 2018

O ator Geraldo Del Rey nasceu em Ilhéus, no litoral baiano, e começou a carreira fazendo um curso de arte dramática em Salvador. Depois de alguns espetáculos de teatro ainda como amador, ele estreou profissionalmente como ator, no cinema, em 1959 no filme “Redenção”, dirigido pelo também baiano Roberto Pires. Foi o primeiro dos 27 filmes dos quais viria participar em uma carreira de mais de 30 anos.

A grande chance surgiu quando Anselmo Duarte fechava o elenco para o filme “O Pagador de Promessas”, rodado em Salvador, em 1962, e resolveu contratar o ator que havia chamado a atenção do diretor pelo trabalho desenvolvido em filmes anteriores como “A Grande Feira” e “Tocaia no Asfalto”. Coube a Geraldo um dos principais papéis do premiado filme, o de Bonitão, o cafetão bem vestido e charmoso que conquista a inocente Rosa, personagem vivido por Glória Menezes, a mulher de Zé do Burro, o pagador de uma promessa a Santa Bárbara.

O brilhante desempenho de Geraldo Del Rey no premiado filme de Anselmo Duarte, abriu caminho para que ele se transformasse em um   dos mais premiados e requisitados atores da TV e do cinema nas décadas de 60, 70 e 80. Foram quase 30 filmes e cerca de 35 participações em novelas, minisséries e seriados televisivos.

A estréia na TV aconteceu em 1964, na telenovela “Ilsa”, escrita por Lúcia Lambertini para a TV Excelsior e nela Geraldo já era o galã ao lado de Lolita Rodrigues e da então menina Lurdinha Félix. A partir daí esteve em produções também da Bandeirantes, Globo, Tupi e Manchete.

Seus maiores destaques na TV foram o Gino Falconi de “A Gata de Vison” e o Luciano de “Véu de Noiva”, ambas na TV Globo ainda na década de 60, o Rafael de “A Barba Azul” e o Joel de “Roda de Fogo”, ambos na TV Tupi nos anos 70, o Cláudio de “O Todo Poderoso” e o Pai Pedro de “Capitães da Areia”, os dois na TV Bandeirantes, e mais no final da vida, o Túlio de “Lua Cheia de Amor” e o Orlando Damasceno da minissérie “Anos Rebeldes” na TV Globo.

No cinema os destaques são muitos, mas os maiores sucessos do ator, além do Bonitão de “O Pagador de Promessas” foram seus trabalhos em “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, “Lampião o Rei do Cangaço”, “Menino de Engenho”, “O Santo Milagroso”, “Anjos e Demônios”, “Ana Terra”, “A Idade da Terra” e “Asa Branca – Um Sonho Brasileiro”.

Talentoso e com brilhantes olhos verdes, Geraldo Del Rey era considerado um dos atores mais bonitos do cinema brasileiro e ganhou no final da década de 60 o apelido de o “Alain Delon brasileiro e mais precisamente, baiano”. Foi casado apenas uma vez, com a apresentadora e jornalista Tânia Carvalho e teve um filho com ela, Fabiano Del Rey.

No teatro ele se destacou na montagem de “Lição de Anatomia” com a qual viajou o Brasil todo. Seu último trabalho no cinema foi em “Os Heróis Trapalhões – Uma Aventura na Selva” em 1989, e na televisão em uma participação especial na novela “Pedra Sobre Pedra”, meses antes de falecer, em abril de 1993, aos 62 anos de idade, vitimado por um câncer de pulmão.

Comentários
Programa Compartilha Brasil