Cultura - Música

João Rock: 60 mil pessoas celebraram a música brasileira e o encontro de gerações

11 de Junho de 2018

Os olhos dos fãs do rock e da música brasileira se voltaram para Ribeirão Preto, interior de São Paulo, no dia 09 de junho, sábado. A 17ª edição do João Rock, um dos principais festivais do gênero do país, trouxe mais de 12 horas de apresentações marcadas pelo encontro de gerações no público e nos palcos.

Palco João Rock - O grupo Napkin, de Joinville/SC e vencedor do concurso de bandas, abriu os shows. Na sequência, Cordel do Fogo Encantado fez sua apresentação ao por do sol, seguida de Supercombo, que abriu os encontros da noite na canção Amianto, recebendo Juliana, do grupo Francisco El Hombre. A banda Raimundos embalou o público com os clássicos como Mulher de Fases e fez homenagem a Chorão, da Banda Charlie Brown Jr.

Um dos veteranos do Festival, Skank destacou o João Rock como um "oásis" na atual cena musical brasileira e embalou o público com seus clássicos, formando um grande coro. Em seguida, Pitty trouxe o empoderamento feminino e sua irreverência, cantando pela primeira vez com Tássia Reis e Emmily Barreto (vocalista da banda "Far From Alaska"), a canção "Contramão", lançada na semana passada.

O Palco João Rock ainda recebeu o reggae de Natiruts, o hip hop de Gabriel O Pensador – este trouxe duas convidadas: a cantora e Youtuber Mari Nolasco e MC Camila, de Ribeirão Preto, com quem improvisou uma rima. "Acabei me emocionando no show com a galera cantando e vi que todo mundo está junto por um ideal que é mudar a situação do país, mas a mudança está em nós e em nossas atitudes desde a infância", destacou Gabriel.

Antes do Planet Hemp, que finalizou a noite no Palco João Rock, foi a vez de Criolo encantar o público e também se emocionar com o festival - cantando chorando "Não existe amor em São Paulo" com o público entoando o refrão em uníssono. Entre uma música e outra, Rael entrava e improvisava versos e palavras de ordem com o amigo durante o show.

João Rock 2018 recebe 60 mil pessoas 

Foto: Divulgação João Rock

Os Tropicalistas no João Rock

Os 50 anos do movimento tropicalista foram homenageados pelo palco Brasil. A banda Mutantes abriu os shows e na sequência "Refavela 40", de Gilberto Gil, embalou o público. Moreno Veloso (filho de Caetano) também se apresentou junto com o projeto, que é uma idealização de Bem Gil.

Depois, o palco Brasil recebeu "Ofertório", em que Caetano Veloso cantou junto com os filhos Moreno, Zeca e Tom Veloso. Já o encerramento ficou por conta de Tom Zé, trazendo suas performances e clássicos do tropicalismo. Criolo, Rael e Froid conferiram de perto as apresentações pelo backstage do palco.

ROCK MAIS FORTE - O Palco Fortalecendo a Cena, que traz as bandas que estão despontando no cenário do rock nacional, foi aberto pela ribeirão-pretana Kilotones. O evento seguiu com o experimentalismo da Dônica e o suingue da Sinara. Depois deles, o rapper Rael se apresentou e recebeu no palco os convidados Black Alien, Drik Barbosa e Ogi. Os shows continuaram com o rapper Froid e com a apresentação do grupo Francisco El Hombre, que contagiou o público com a força do rock latino com influência brasileira.

O quarto palco do evento, Red Bull Music, contou com os shows de Marujos, Mari Nolasco – que recebeu Rael como convidado -, Motriz e Enversos.

"O João Rock trabalha com o conceito de promover em um dia de evento um mundo de música, paz e diversão e mais uma vez o festival apresentou sua grandeza em colocar em evidência o rock nacional e seus subgêneros, promovendo encontros históricos e de gerações que contemplam fãs de todas as idades. Nosso objetivo de receber 60 mil pessoas foi alcançado, o que demonstra a consolidação do evento, que hoje recebe pessoas de inúmeras cidades brasileiras. João Rock é diversidade. É o fortalecimento da música. É a vitrine para as bandas que estão se despontando neste cenário musical", afirma Luit Marques, da organização do evento.

Esporte no João Rock

As apresentações radicais de skate em uma rampa montada dentro do evento chamaram a atenção do público com a presença do hexacampeão mundial, Sandro Dias ("Mineirinho"), e da tetracampeã mundial da modalidade vertical, Karen Jonz. Eles comandaram as manobras radicais na pista de 4,20 metros de altura, 15 metros de largura e 19 de comprimento. Além da dupla, o espaço contou com a apresentação de outros skatistas profissionais e convidados.

Se da rampa de skate Mineirinho e Karen impressionavam o público com suas manobras, no céu outra atração radical despertou a atenção dos amantes do rock. O campeão do mundo de Acrobacias em Parapente, Rafael Goberna, sobrevoou o evento com acrobacias e fumaça azul. Goberna aterrizou por volta das 16h45, em frente do Palco Red Bull Breaktime Sessions.

Comentários
Programa Compartilha Brasil