Viver - Beleza

Aumento da vaidade masculina reflete mudanças sociais

8 de Junho de 2018

O mercado de cosmético e higiene pessoal brasileiro há alguns anos se mantém entre os maiores do mundo. Historicamente voltado ao público feminino, este setor da economia brasileira vem passando por transformações nos últimos anos com o avanço da procura de homens por beleza e bem-estar.

A mudança de costumes e o aumento dos produtos na prateleira são notáveis e os números não desmentem a sensação de que os homens estão cada vez mais vaidosos. Segundo pesquisa da Euromonitor Internacional o mercado de beleza masculino no Brasil cresceu 7,1% em 2015 e representa hoje mais de 10% do consumo total de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), totalizando R$43 bilhões.

Alguns fatores explicam esta mudança social liderada pela Geração Y, ou seja, pessoas que nasceram em meados dos anos 1980 e 1990. Entre eles, está o surgimento de uma cultura hispter e do estilo “lenhador” que impulsionou a moda masculina caracterizada pelo uso de barba, sempre muito bem cuidada.

Foto: Zacarias Pagnanelli

Não é à toa que o número de barbearias aumenta progressivamente, principalmente nas grandes cidades como São Paulo. Além de cuidar do cabelo, da barba e do bigode do público masculino, elas também destinam um espaço para a degustação de inúmeros rótulos de cervejas artesanais para cativar seus clientes.

A Sociedade Internacional de Cirurgia e Restauração de Cabelo (ISHRS) apontou em sua última pesquisa entre os anos de 2011 e 2014 o aumento de 196% em implantes de bigode e barba em todo o mundo.

Um segundo fator animador que justifica o aumento da procura do público masculino por beleza e bem-estar é a crescente desconstrução de uma sociedade machista em que os homens são desestimulados a cuidar da aparência. Pesquisa do Instituto Qualibest mostrou que 43% dos homens já se consideram vaidosos e 54% frequentam regularmente salões e barbearias.

Informações: abihpec

Comentários
Programa Compartilha Brasil