Colunistas - Bem Estar e Saúde

A predominância estrogênica e a TPM

18 de Maio de 2018
Foto: Divulgação 

Como cuidar deste problema que atinge a grande maioria das mulheres

 A tensão pré-menstrual, a tão falada TPM, é a queixa mais comum entre as mulheres que ainda não atingiram a menopausa. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% das mulheres sofrem com a TPM na idade fértil. Existem muitos fatores que interferem nas causas da TPM, incluindo aspectos físicos e emocionais, mas a boa notícia é que é possível controlar os sintomas, que começam a aparecer duas semanas antes da menstruação e, em alguns casos, continuam durante o período menstrual.
Alguns desses sintomas são: inchaço, retenção de líquidos, aumento de peso, seios doloridos com granulações, dores de cabeça, cólicas, fadiga, ansiedade e, em casos mais graves, alterações de humor com verdadeiras explosões de raiva.
 
Causas
           
Segundo o nutrólogo e precursor da medicina bioortomolecular no Brasil, Dr J Bussade, a causa mais provável da TPM é a deficiência da progesterona, com aumento dos estrogênios. “A progesterona deveria estar aumentada na segunda metade do ciclo menstrual de uma mulher, mas não é isto o que normalmente acontece, predominando os estrogênios”, afirma.
   Para o Dr J Bussade, o uso de tranquilizantes e antidepressivos pioram os quadros e TPM e o mais correto é fazer um tratamento com progesterona base ou bioidêntica na segunda metade do ciclo menstrual, o que pode acabar com os principais sintomas.
Alguns dos fatores que podem causar essa predominância de estrogênios são os hormônios utilizados na criação de animais confinados e aves de granja, utilização de substâncias estrogênicas para tratamento médico, como pílulas anticoncepcionais, poluição e agentes tóxicos, erros alimentares, principalmente com o uso abusivo do açúcar e outros carboidratos refinados, leite e glúten, além do excesso de peso.
 
Tratamentos
 
Algumas mudanças básicas no estilo de vida podem ajudar com o problema. Por exemplo, Dr J Bussade recomenda a troca de pílulas anticoncepcionais por um DIU de cobre. Outra recomendação é evitar o uso de soja. “Existem vários trabalhos científicos que apontam como a soja pode causar vários problemas no nosso corpo, inclusive, diminuir a absorção de vários minerais e vitaminas”, enfatiza.
O sobrepeso também é um agravante, pois o acúmulo de gordura corporal aumenta a aromatase, que converte androgênios (hormônios masculinos) em mais estrogênios, por isso, cuidar da alimentação é essencial. Além disso, é preciso tomar certos cuidados com a progesterona consumida. Dr J Bussade lembra que é preciso utilizar a progesterona base natural bioidêntica, que é igual ao que o ovário produz, e não ingerir medicamentos denominados progestínicos sintéticos.

Comentários
Programa Compartilha Brasil