Cultura - Teatro

Club Noir estreia Fedra

5 de Maio de 2018

do francês Jean Racine, no Sesc Pompéia dia 4 de maio

Com direção de Roberto Alvim, espetáculo traz no elenco Juliana Galdino, Caio D'Aguilar, Luis Fernando Pasquarelli, Christian Malheiros, Nathalia Manocchio, Luiz Otávio Vizzon e Victoria Reis

 

Juliana Galdino e Christian Malheiros
Fotos de Edson Kumasaka
 

A versão clássica do autor francês Jean Racine (1639-1699) para a tragédia grega Fedra, escrita originalmente por Eurípides, ganha uma nova encenação com direção de Roberto Alvim. O espetáculo estreia em 4 de maio no teatro do Sesc Pompéia, onde segue em cartaz até o dia 27 desse mês, com sessões de quinta a sábado, às 21h, e aos domingos, às 18h.

A tragédia é o mito da insurreição feminina contra o poder e as regras sociais. Na trama, Fedra (interpretada por Juliana Galdino, vencedora do Prêmio Shell de melhor atriz por “Medéia”) é casada com o rei Teseu. Ela se apaixona por Hipólito, filho de seu marido. Quando Teseu é declarado morto na guerra, Fedra cria coragem e declara seu amor por seu enteado. Mas Teseu retorna e, ao descobrir a paixão incestuosa de sua esposa por seu filho, precipita uma série de eventos que conduzem o reino à catástrofe.

Obra suprema do espírito humano, Fedra é a tragédia que brota de nosso medo mais terrível: o de nos apaixonarmos por aquilo que a sociedade, com sua leis e regras, não nos permite. A peça propõe uma discussão sobre a sexualidade feminina e sua dissonância em relação aos papéis sociais de mãe, esposa, cidadã, etc.

O texto de Racine, escrito na França em 1677, imortalizou-se na História do Teatro, tendo sido encenado por alguns dos maiores diretores contemporâneos. A grande montagem brasileira foi realizada por Augusto Boal e protagonizada por Fernanda Montenegro em 1986.

SINOPSE

Fedra é casada com o rei Teseu. Ela se apaixona por Hipólito, filho de seu marido. Quando Teseu é declarado morto na guerra, Fedra cria coragem e declara seu amor por seu enteado. Mas Teseu retorna e, ao descobrir a paixão incestuosa de sua esposa por seu filho, precipita uma série de eventos que conduzem o reino à catástrofe. Fedra é o mito da insurreição feminina contra o poder e as regras sociais.

FICHA TÉCNICA

Texto Original: Jean Racine

Tradução, Adaptação e Direção: Roberto Alvim

Elenco: Juliana Galdino, Caio D'Aguilar, Luis Fernando Pasquarelli,Christian Malheiros, Nathalia Manocchio, Luiz Otávio Vizzon e Victoria Reis

Cenografia e Iluminação: Roberto Alvim

Trilha Sonora Original: LP Daniel

Figurinos: Anne Cerutti

Cenotécnico: Fernando Bretas

Designer: Luciano Angelotti

Fotos e vídeo: Edson Kumasaka

Assistentes de Direção: Dug Monteiro e Bárbara Toledo

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Produção: Dani Angelotti

Assistente de Produção: Vivian Vineyard

Realização: Club Noir e Cubo Produções

SERVIÇO

Fedra, de Jean Racine, com direção de Roberto Alvim

Sesc Pompéia Rua Clélia, 93 - Pompéia

Temporada: de 4 a 27 de maio, de quinta a sábado, às 21h, e aos domingos, às 18h. Não haverá sessão no dia 10 de maio.

Ingressos: R$30 (inteira), R$15 (meia-entrada) e R$9 (comerciário)

Classificação: 16 anos

Duração: 60 minutos

Capacidade: 302 lugares (um lado da plateia)

Telefone: (11) 3871-7700

Comentários
Programa Compartilha Brasil