Colunistas - Bem Estar e Saúde

Italiano mestre em psicologia, sexologia e hipnoterapia analisa o comportamento dos brasileiros

9 de Maio de 2018
Francesco Pellegata

O italiano Francesco Pellegata, mestre em psicologia, sexologia e hipnoterapia que veio morar no Brasil por amor a um baiano explica que pode tratar muitas doenças e fobias através do poder da mente e analisa o comportamento dos brasileiros nas redes sociais.

"A cultura brasileira é sem dúvida fascinante pelo calor demonstrado pelas pessoas e isto gera no outro lado da moeda uma exagerada superficialidade em julgar e compreender alguns conceitos simples, utilizando mais o lado emocional que o lado racional. Notei que muitas pessoas creem naquilo que outras escrevem nas redes sociais sem verificar as fontes ou escutar outras opiniões", afirma ele.

Master Trainer de PNL (Programação Neuro Linguística), Hipnose, Time Empowerment, Time Line Therapy e Coaching, o italiano detalha como enxerga o mercado de coaching no Brasil: "Vejo um mercado em crescimento, afinal o Brasil é um país muito grande e com quase 220 milhões de pessoas. Infelizmente é um mercado que atualmente foi saturado por profissionais de baixo nível que tentam parecer sérios através de patéticos jogos de palavras, usados para escrever um currículo inexistente. A maioria dos cursos hoje no Brasil são feitos por personagens com pouca ética profissional e que nos Estados Unidos e nos países mais desenvolvidos da Europa como Inglaterra, Alemanha, Itália e França, não seriam nem mesmo presos em consideração".

Francesco Pellegata diz que existem muitos coach com graduação e muitos sem graduação: "O problema é a maioria dos cursos de baixo nível e feitos por protocolos quase sempre criados por pessoas completamente incompetentes na matéria e isto gera pessoas não suficientes qualificadas para fazer o trabalho de Coaching. Não serve uma graduação em Coaching, é suficiente escolher cursos de alta qualidade e de verdadeiro nível internacional ao invés de escolher cursos criados por pessoas incompetentes à procura de ganhar dinheiro facilmente, infelizmente algo muito difundido aqui no Brasil".

"O problema maior que acontece é o abuso de profissão. Um coach tem que saber exatamente até onde ele pode atuar. Para tratar traumas psicológicos os únicos profissionais aptos a atuar são os psiquiatras e psicólogos. Ao mesmo tempo um colega psicólogo deveria se atualizar para evitar que pessoas com qualificações inferiores sejam em todos os efeitos mais preparados para resolver certos problemas. Também noto um abuso de profissão muito difundido, enquanto que é possível encontrar pessoas que se definem da área de saúde como nutricionistas, dentistas e fisioterapeutas, que com a desculpa de ter uma graduação na área da saúde e com a segunda desculpa que os respectivos conselhos reconhecem algumas técnicas como a hipnose, se sentem autorizados injustamente a trabalhar com verdadeiros traumas psicológicos. Isso sem compreender que um nutricionista deveria usar essas técnicas para ajudar os próprios pacientes a emagrecer e estar em forma rapidamente, assim como os dentistas e fisioterapeutas deveriam utilizar essas técnicas para o controle da dor e no caso dos dentistas, para utilizar somente para a fobia do dentista. Se todos soubessem permanecer no limite da ética, o mundo seria melhor", destaca o italiano considerado um dos maiores nomes da hipnose no mundo, sendo referência também no mundo da PNL. 

 

Comentários
Programa Compartilha Brasil