Cultura - Arquitetura

Projeto Arquite-tô debate novas formas de relações entre pessoas e seus territórios

8 de Maio de 2018

Dedicado a aplicar as noções, conhecimentos e técnicas da arquitetura em artes e tecnologias de forma acessível ao público, o projeto Arquite-tô permeia a programação do Sesc Pinheiros em maio e junho com diversas oficinas, apresentações artísticas e cursos, entre outras atividades.

O Arquite-tô convida o público a imaginar como as artes e a arquitetura podem articular conhecimentos e formas mais democráticas de construir, habitar e fruir.  Do microcosmo das casas às escalas mais extensas em que operam arquitetos e urbanistas, a programação surge como uma reflexão sobre o quanto artistas e arquitetos podem inspirar pessoas a se apropriarem de novos recursos e conhecimentos, na busca por experiências mais plenas de habitar.

O projeto está dividido em três eixos. O primeiro deles é a Retomada da Cidade, cujas atividades evidenciam a busca pela reapropriação dos espaços urbanos e o questionamento sobre a quem pertencem as cidades. Nesta frente, destacam-se as atividades Introdução à Fotografia Arquitetônica com Passeio, com o arquiteto André Scarpa, a partir de 12 de maio e o lançamento dos livros São Paulo: Centro e Urbanidade, com a Editora do Olhar e o fotógrafo Luiz Cersosimo, no dia 30 de maio.

O segundo eixo, Artes e arquiteturas em tempos de transformação discorre sobre como novos agentes econômicos, as transformações de gênero e as demandas por mais mobilidade e inclusão tanto afetam a produção de artistas e arquitetos, como são afetadas por mudanças sociais e históricas mais amplas. Neste recorte, destaca-se a instalação multimídia Teleport City, a partir de 22 de maio, que explora hipóteses sobre o mundo depois do advento do teletransporte: uma metáfora sobre a possibilidade de transporte de massa ilimitado e instantâneo.

Jeitos de Morar é o terceiro eixo, que reflete sobre as tendências da arte e da arquitetura nas formas de habitar construir casas e mobiliários, e também sobre arquitetura inclusiva e as boas práticas de arquitetura para a educação. A vivência Habite-se, dias 26 e 27 de maio e o curso de Azulejaria Brasileira – Fundação e Permanência, de 22 a 25 de maio, corroboram essas questões.

Confira aqui a programação completa.

Comentários
Programa Compartilha Brasil