Notícias -

Polícia confirma que corpo carbonizado é da publicitária Fernanda Aparecida Delarice

12 de Abril de 2018

A DIG - Delegacia de Investigações Gerais, de Ribeirão Preto (SP) - confirmou nesta quinta-feira que o corpo que foi encontrado carbonizado numa área rural próximo a cidade de Jardinópolis é da publicitária Fernanda Aparecida Delarice, 36 anos, que estava desaparecida desde o dia 28 de março. De acordo com a polícia, o marido dela, o empresário Otávio Rodrigo Dias da Silva, seria o responsável pelo crime. Ele teria sido ajudado por uma outra pessoa que a polícia já sabe quem é, mas ainda não divulgou o nome.

Fernanda Aparecida Delarice
 

Segundo as investigações, tudo indica que Otávio matou Fernanda a facadas e enrolou o corpo em um tapete para transportá-lo até uma área rural e depois teria ateado fogo. Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (12), o delegado Cláudio Salles Júnior, confirmou que o o corpo carbonizado na área rural de Jardinópolis é da publicitária. O reconhecimento foi possível, pois o pé com uma tatuagem de borboleta, que comprova que o corpo é de Fernanda, não foi carbonizado.

De acordo com o delegado, há um vídeo feito por câmera de segurança próximo à casa do casal, que mostra Fernanda chegando em casa no dia 30 de março, por volta das 16 horas e não mais saiu de lá. No dia seguinte (31, sábado), por volta das 9 horas, a mesma câmera revelou que Otávio saiu juntamente com outra pessoa numa Pick up Strada. Ele teria rumado para a cidade vizinha de Jardinópolis, deixado o ‘ajudante’ por lá e teria se dirigido ao local onde pôs fogo no corpo.  

O empresário Otávio Rodrigo Dias da Silva foi indiciado por Feminicídio e Ocultação de Cadáver. Ele é considerado foragido pela Polícia e já está com a prisão Preventiva decretada.

Otávio Rodrigo Dias da Silva e Fernanda Aparecida Delarice
 

A polícia ainda não sabe a motivação do crime, mas parentes e amigos de Fernanda revelaram que Otávio era muito ciumento e andava mais agressivo com ela, principalmente nos últimos meses.

Comentários
Programa Compartilha Brasil