Colunistas - Bem Estar e Saúde

A importância da avaliação cinemática 2D para corredores

12 de Abril de 2018

Avaliação minuciosa pode melhorar performance do corredor independente do seu nível técnico.

 

Se você acha que o número de pessoas correndo a sua volta só aumenta, você não está enganado. As corridas de rua tiveram alta de 200% nos últimos 10 anos, e já é o segundo esporte mais popular do Brasil com mais de 4,5 bilhões de adeptos.

 

E para se tornar um corredor profissional ou até mesmo um atleta de fim de semana não basta sair correndo por aí e batendo seus próprios recordes. É preciso estar preparado para este impacto que a corrida gera nos membros inferiores e em toda a musculatura corporal. Um movimento errado, uma compensação que o corpo faz em determinado momento e até mesmo a maneira de movimentar pernas e braços interferem diretamente não só no resultado, mas também na saúde do corredor.

 

A partir disso, o Instituto Trata, especializado em joelhos e quadris, criou um protocolo de fisioterapia que por meio de recursos tecnológicos faz uma análise dos movimentos de corrida de forma minuciosa, a fim de detectar causas de possíveis lesões e preveni-las, independentemente do nível técnico que o corredor se encontra, podendo ser profissional, amador ou “atleta de fim de semana”, afinal corrida é para todos.

 

Por meio de um software internacional 2D, cuja tecnologia avançada permite detectar quaisquer alterações na força ou funcionalidade das estruturas que acabam levando a um quadro inflamatório ou doloroso; uma esteira, e marcadores colados ao corpo de maneira estratégica, torna-se possível analisar como músculos e ossos estão organizados e atuando no corpo humano ao realizar os movimentos exigidos durante a corrida. Afinal, o corpo por si só acaba se adaptando.

 

O foco da avaliação cinemática 2D do Instituto Trata é o alinhamento biomecânico dos membros inferiores, onde todos trabalham em harmonia, sem sobrecarga. Além disso, as imagens gravadas no computador permitem que o corredor também tenha uma noção real de como se movimenta, o que é fundamental para uma mudança de comportamento.“Estes dados são de extrema importância, principalmente para iniciantes na prevenção de lesões. Por exemplo, se temos uma coluna reta ao correr, temos um quadríceps sobrecarregado, o que pode lesionar futuramente o quadril”, explica o fisioterapeuta Bernardo Sampaio, também Diretor Clínico do Instituto Trata de Guarulhos.

 

Após 45 minutos, os pacientes ficam diante de um laudo e ouvem as avaliações dos profissionais, com isso, podem apenas fazer alguns ajustes ou começar um tratamento preventivo ou corretivo. 

Comentários
Programa Compartilha Brasil