Colunistas - Bem Estar e Saúde

Beber refrigerantes engorda?

5 de Março de 2018
 

 

As bebidas açucaradas e refrigerantes estão cheias de calorias, com o equivalente a sete colheres de chá de açúcar em apenas uma latinha.


Mas será que é só o açúcar presente nessas bebidas que nos engordam? Será que as “bolhinhas” também não terão uma influência direta no ganho de peso?

Um estudo realizado pela Universidade de Birzeit no ano passado dedicou-se ao estudo aprofundado da questão usando um grupo de ratos machos que beberam refrigerantes.

Chegaram à conclusão que os ratos que ingeriram os refrigerantes têm um aumento de peso a uma taxa muito mais rápida do que aqueles que ingeriram bebidas açucaradas não gaseificadas.

As amostras de sangue revelaram que os que bebiam refrigerantes tinham níveis de hormona da fome maiores, o que poderia explicar o aumento de peso.

Estudo da sande de queijo

Este estudo interessante foi levado a cabo pela equipa Trust Me I’m a Doctor, da BBC, que se inspirou no estudo anterior e o reproduziu em humanos.
Então, com a ajuda do Dr. James Brown, da Universidade de Aston, recrutaram um grupo de voluntários saudáveis.
Não foi dito aos voluntários o que era a experiência para quer os resultados não fossem afetados.
Assim, em vez de dizer que a experiência era por causa do gás, disseram-lhes que era para medir o impacto das bebidas açucaradas no apetite.
No começo os voluntários chegaram ao laboratório depois de 10 horas sem comer.
Depois foram-lhes dadas sandes de queijo idênticas e com teor de calorias. A ideia era a de garantir que todos começavam com os níveis da hormona da fome, grelina, semelhantes.
Uma hora depois, cada um deles recebeu vários refrigerantes diferentes, aleatoriamente uma bebida açucarada gaseificada, a mesma bebida mas sem gás, copo de água com gás e água simples.
Dez minutos depois da ingestão da bebida foi feita uma colheita de sangue para se medirem os níveis de grelina.
Foi dado também um diário de alimentos para cada um dos voluntários para se verificarem quantas calorias ingeriram nas horas seguintes.

O processo foi repetido mais três vezes, mas variando a bebida oferecida a cada um deles para se fazer o chamado julgamento cruzado, e assim testar na mesma pessoa coisas diferentes.

O segredo está na Grelina

Depois que os números foram reunidos, juntaram-se os voluntários para lhes dizer que o estudo não foi para avaliar o impacto do açúcar, mas da fome.
Com o estudo chegaram-se às seguintes conclusões:
? Níveis de grelina eram 50% maiores nas pessoas que beberam bebidas açucaradas gaseificadas
? Níveis de grelina têm um ligeiro aumento na água gaseificada
? Pessoas que beberam bebidas gaseificadas ingeriram, em média, mais 120 calorias do que as que beberam bebidas não gaseificadas

Para James, o gás poderá ter efeito direto na fome por dois motivos possíveis. Um é que depois de beber uma bebida gaseificada, o dióxido de carbono é libertado no estômago. Os recetores químicos do estômago detetam a presença e fazem com que liberte grelina.
Outro motivo pode ser o facto de o estômago inchar, estimulando as células a libertar a grelina.
Apesar disso, vale a nota que não é bom beber bebidas açucaradas sem gás, elas continuam a ser extremamente prejudiciais para a nossa saúde.

Comentários
Programa Compartilha Brasil