Colunistas - Bem Estar e Saúde

Como lidar com a ansiedade de um ano novo?

24 de Janeiro de 2018
Foto: Divulgação 

Hora de focar no futuro. 2018. Vamos ser realistas? Na prática, nada muda. Tudo continua igual. Apenas a Terra deu mais uma volta em torno do Sol. Porém, dentro de nós, o início de um ano representa a esperança de um novo ciclo. É como se tivéssemos a chance de recomeçar. De fazer tudo diferente e melhor. Novas promessas, novos planos... E aí vem a ansiedade a todo vapor, especialmente para pessoas que já têm a propensão. O anseio por renovação, seja no lado pessoal ou profissional, pode desencadear a sensação de preocupação excessiva, desconforto e angústia, podendo ser tornar prejudicial à pessoa.

 

A ansiedade intensa caracteriza os transtornos de ansiedade, que são classificados em: transtorno de ansiedade generalizada, transtorno de pânico, fobia social, entre outros. No caso de ansiedade generalizada, os sintomas incluem irritabilidade, dificuldade de concentração, insônia e fadiga. No transtorno de pânico, a pessoa tem uma súbita ansiedade intensa, acompanhada de palpitação, sensação de desmaio, falta de ar, sudorese excessiva, vertigem, tonturas e formigamentos no corpo. Já a fobia social apresenta sudorese, taquicardia, boca seca, tremor, tensão muscular, rubor facial e náusea.

 

Pessoas muito ansiosas têm a tendência de pensar em muitas coisas ao mesmo tempo, e querer fazer várias atividades simultaneamente. Com isso, se "atropelam" e não conseguem ser produtivas, o que gera mais ansiedade, criando um círculo vicioso de ansiedade e improdutividade. Tentar resolver diversos problemas no mesmo dia é um chamariz para a ansiedade. O ideal é organizar suas tarefas e atividades. Tenha uma agenda e registre o que precisa ser feito em cada dia. Priorize o que for mais importante. E evite marcar vários compromissos no mesmo dia para evitar o estresse e a ansiedade.

 

Se sua ansiedade estiver tão forte a ponto de interferir na sua vida social e profissional, é hora de buscar ajuda médica. O tratamento do transtorno envolve o uso de medicações para redução da ansiedade e psicoterapia. Os medicamentos mais indicados são os antidepressivos inibidores seletivos de receptação da serotonina, eventualmente associados aos ansiolíticos, os quais são usados por prazo limitado. Já a psicoterapia visa ajudar o paciente a lidar melhor com as situações que potencialmente podem trazer/aumentar a ansiedade.

 

Em suma, cuide primeiro da sua saúde. Só assim você conseguirá concretizar suas metas e se renovar em 2018!

 

 

Por Prof. Dr. Mario Louzã, médico psiquiatra e psicanalista

Comentários
Programa Compartilha Brasil