Segunda-Feira | 9 de Outubro de 2017 | 14h28

HARLEY-DAVIDSON COMEMORA OS 60 ANOS DA SPORTSTER®

A Harley-Davidson Sportster (R) está em produção contínua há 60 anos, uma grande façanha levando em conta como o mundo mudou desde que foi criada. Nascida a partir da crescente concorrência dos fabricantes britânicos, usou o modelo K (1952-1956) com seus cárteres únicos, mas substituiu as válvulas laterais do motor de 55 ci (883 cc) com válvulas de cabeçote. Também manteve a suspensão hidráulica dianteira e traseira, tecnologia avançada para aquela época.

  Nomeada de XL, a plataforma Sportster (R) demonstrou instantaneamente o seu valor, em termos de vendas e potencial de adaptação. E, como tal, é uma motocicleta que evolui constantemente, respondendo às necessidades do mercado e estabelecendo tendências. Um caso específico, a XLCH (Competition Hot) Sportster (R), de 1958, tinha estilo e função _off_-road, além de um para-choque traseiro e o tanque peanut do modelo 5 125 cc de 1948 - e não seria um peixe fora d´água nos dias de hoje.

                        
                                      Motocicleta Harley-Davidson Sportster em competição, no ano de 1964. 
                                                                Imagem: Arquivo Harley-Davidson.

 

A XR750: LINDA, BRUTAL E CONSTRUÍDA PARA SER CAMPEÃ

  Nos anos 1960, a Sportster (R) evoluiu com o passar do tempo e, no final da década, a XLH tinha sido levemente customizada. Mas, em 1970, veio o advento da lendária XR750. Brutal, o modelo XR750 foi construído para conquistar uma legião de fãs; uma mudança de regra em 1969 permitiu os motores de 750 cc OHV nas corridas nos Estados Unidos e a H-D precisava de uma moto competitiva. A XR750 era exatamente isso, e continuou a afirmar ser a melhor máquina para conquista de vitórias.

      
                                  Motocicleta Harley-Davidson Sportster em competição, no ano de 1977
                                                                            Imagem: Arquivo Harley-Davidson.

 

Cal Rayborn, nas corridas transatlânticas de 1972 no curto circuito da Brands Hatch, pilotando uma versão revisada da XR750, ganhou três das seis corridas, estabelecendo um novo recorde e impressionando todos os que estavam assistindo. Durante três décadas, nas corridas American Dirt Track, o modelo XR750 levou os pilotos para o grupo dos vencedores e para os livros dos recordes. Pilotos como o popular e lendário Jay Springsteen e também Chris Carr, Ricky Graham, Mert Lawwill e Kevin Atherton emocionaram os fãs da XR. E ninguém podia esperar a combinação de quase cem vitórias do campeão Scott Parker, a maior parte delas em cima das XR.

  OS ANOS 1970, 1980, 1990 E 2000

  A XL de 1972 usou uma versão do 1000 cc do já conhecido motor Iron Head. Em 1976, a embreagem foi colocada no lado esquerdo do guidão e o freio traseiro foi para a direita. Em 1977, a motocicleta XLCR (Café

Racer) renovou as expectativas e, com a suspensão traseira inspirada no modelo XR750, novo quadro, os freios de discos triplos, as rodas de alumínio fundido e as pedaleiras recuadas, foi a Sportster (R) mais esportiva já feita até então.

  O ano de 1983 viu uma maior ênfase no desempenho com o surgimento da XR1000, criada com a montagem dos cilindros e cabeçotes da XR750 em um bloco já existente da linha Sportster (R) - era o modelo mais próximo de uma XR750 para uso urbano que se poderia comprar.

  Em 1986, o motor Sportster (R) Iron Head foi registrado nos livros da história, graças à introdução do motor Evolution em duas

capacidades: 883 cc - com um diâmetro de cilindro e curso do virabrequim idênticos ao original de 1957 - e 1100 cc (este foi substituído dois anos depois pelo motor de 1200 cc). Já o ano de 1987 viu a introdução do XLH883 Hugger, o reconhecimento de pilotos e o crescimento demográfico de mulheres pilotando. Todos os modelos

Sportster(R) ganharam câmbio de cinco velocidades em 1991, e todos, exceto a base 883, ganharam transmissão final por correia dentada.

  Em 2000, a motocicleta XL1200S Sportster(R) Sport foi equipada com duas pinças de freio de quatro pistões e outro na traseira e a XL883R de

2002 apresentou o escape dois em um, discos duplos na frente e guidão baixo. Em 2004, toda a família obteve um novo quadro e motores montados sob cochins de borracha e, em 2007, substituiu os carburadores pela injeção de combustível.

  Reconhecendo a necessidade de ter algo novo em 2008, a Harley-Davidson apresentou a moto XR1200, uma Sportster(R) com um motor de 90 hp, suspensão invertida e freios poderosos, balança traseira de alumínio, instrumentação moderna e pedaleiras recuadas. Também naquele ano, a Nightster passou a usar rodas pretas e um motor cinza com acabamento dark, mas outro detalhe - hoje mais conhecido - é a lanterna traseira em LED incorporada aos indicadores de direção.

  Em 2010, as raízes da moderna família Sportster(R) estavam emergindo, começando pela XL883N Iron, que se tornou o modelo básico, e XL1200X

Forty-Eight(R) com o chassi à mostra e paralama encurtado - que contava com o tanque peanut baseado no modelo de 1948 - de onde veio seu nome.

  Dois anos depois, a XL1200V Seventy-Two trouxe atitude chopper autêntica para a gama Sportster(R) mais uma vez, ao lado do estilo personalizado mais descontraído do XL1200C. Todas as quatro motos referenciaram os modelos Sportster(R) do final dos anos 1950 e 1960 que, eles próprios, tinham como inspiração os modelos do começo do século passado. O que para Harley-Davidson - uma fabricante com um _lineup_ que remonta a 1903 - é exatamente como deveria.

  A Iron 883(tm) e a Forty-Eight(R) foram totalmente renovadas com suspensão aprimorada e freio ABS em 2014, combinando o mais autêntico estilo _old-school_ com um chassi moderno e, comemorando 60 anos de aventuras. A XL1200CX, conhecida como Roadster, foi adicionada à família este ano e trouxe uma nova dimensão de desempenho com a sua suspensão invertida com tubos de 43 mm de diâmetro, novos amortecedores traseiros e um poderoso freio dianteiro.

  Então, enquanto a essência da família de entrada da Harley-Davidson permanece inalterada, muitos itens foram sendo aprimorados nas motocicletas ao longo de 60 anos, tornando os modelos mais atuais e oferecendo uma experiência de pilotagem única.

 

 

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.