Sábado | 16 de Setembro de 2017 | 23h7

As velhas chanchadas do cinema nacional eram homenageadas em Feijão Maravilha

Uma idéia de Bráulio Pedroso resultou em uma comédia leve e despretensiosa no horário das 19 horas da TV Globo, em 1979. Tratava-se de “Feijão Maravilha”, uma grande homenagem às chanchadas que fizeram muito sucesso nas telas brasileiras nos anos 50.

 

Os autores Bráulio Pedroso e Eloy Araújo criaram uma novela pastelão que misturava tramas amorosas com uma boa dose de humor e do gênero policial. Na direção da história, Paulo Ubiratan dava à novela o mesmo tratamento que Carlos Manga e outros grandes diretores dedicaram às grandes chanchadas da Atlântida.

 

Se aqui não tínhamos mais Oscarito, que já nos havia deixado, o humor rasgado ficava por conta de outros grandes atores cômicos como Grande Otelo, eterno parceiro de Oscarito no cinema nacional dos anos 50 e 60, Wálter D’Ávila, Olney Cazarré, Felipe Carone, Older Cazarré e Ivon Curi. Também estavam presentes duas grandes figuras femininas das nossas chanchadas: Eliana Macedo e Adelaide Chiozzo.

 

O vilão principal da história era vivido por José Lewgoy, que vivia o misterioso Ambrósio, e que sempre foi o eterno vilão do cinema brasileiro na década de 50. O saudosismo também estava presente na personagem de Marilyn Méier, a nossa Marilyn Monroe tupiniquim em uma brilhante caracterização de Clarice Piovesan.

 

Os casais românticos da história eram vividos por Lucélia Santos como Eliana; Stepan Nercessian era Anselmo; Maria Cláudia interpretava Bibinha e Marco Nanini vivia Jorginho. O cenário principal, onde todos os personagens acabavam se encontrando, era um hotel no Rio de Janeiro.

 

No enredo de “Feijão Maravilha”, uma sonhadora jovem, a recepcionista do hotel Eliana, perdidamente apaixonada por um jovem que dirige um grupo musical, Anselmo, serve de referencia para todos os outros personagens que gravitam pelo hotel, entre eles um misterioso mafioso e uma perigosa quadrilha de contrabandistas.

 

No grande elenco ainda estavam Mário Cardoso, Mauro Mendonça, Elizangela, Ivan Setta, Marcelo Picchi, Gracinda Freire, Maria Cristina Nunes, Mara Rúbia, Brandão Filho, Cláudio Savietto, Dulce Conforto, Anselmo Duarte, Francisco Dantas, Heloisa Millet, Enio Santos, Josephine Hélene e Roberto Faissal.

 

Foto 1 - A novela de Bráulio Pedroso era uma homenagem às chanchadas brasileiras

Foto 2 - Marcelo Picchi e Elizangela tinham papéis de destaque na novela

Foto 3 - Marco Nanini era Jorginho e Lucélia Santos vivia a recepcionista Eliana

Foto 4 - Maria Cláudia vivia Bibinha e Stepan Nercessian interpretava Anselmo

Foto 5 - Clarice Piovesan e José Lewgoy registraram dois grandes trabalhos

Foto 6 - Grande Otelo, remanescente das chancadas, participava da ala de humor da novela

Foto 7 - A veterana Mara Rúbia e Lucélia Santos em cena da novela das 19 horas

 

 

 

 

 

 

      

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.