Segunda-Feira | 4 de Setembro de 2017 | 18h46

Bruno & Marrone voltam às raízes e lançam Ensaio

Por Tânia Voss

A dupla Bruno & Marrone reservou um dia, na lotada agenda, para atender a imprensa em São Paulo. Em uma tarde descontraída e com ótimo astral, mostraram-se muito felizes com o lançamento do novo trabalho "Ensaio", álbum de estreia na gravadora  Universal Music.

Comemorando 31 anos de carreira, Bruno & Marrone acabam de lançar o CD e DVD "Ensaio". Os cantores surgiram com uma formação acústica que revolucionou a sonoridade da música sertaneja. Sempre nas paradas de sucesso, shows lotados de norte a sul do País, se tornaram fenômenos e referência no mundo sertanejo.

 

 

Após seis anos, e depois da turnê juntamente com Chitãozinho e Xororó, a dupla lança um novo trabalho só de músicas inéditas, Gravado em um casarão histórico, no interior de São Paulo, valorizando o ambiente natural do local.

O 21º álbum da dupla trouxe de volta a simplicidade no cenário e formação acústica. . Das 22 faixas deste trabalho, algumas foram gravadas por artistas regionais e ganham força na voz de Bruno & Marrone. “Na Conta da Loucura”,  já está em todas as rádios do país, “Trégua (Eu Quero Trégua)” e “Enquanto eu brindo cê chora”, já tem vídeo com mais de 19 milhões de views no canal dos artistas, na Vevo/YouTube.

Ponto forte desse trabalho é o toque acústico, bem raiz e natural, sem a presença de público, bem intimista e caseiro - um cenário natural. A dupla dispensou os gigantes painéis de led e da tecnologia de reprodução de imagens em alta definição para valorizar o ambiente natural do local. Usando como fundo do DVD, escolheram um casarão histórico construído em 1872 e inteiramente restaurado mantendo todo o esplendor da época das grandes fazendas de café. Todo elemento cenográfico utilizado por Zé Carratú teve como intuito revelar a beleza do espaço.

 Como um ensaio, uma diversão com amigos e a família, o resultado aconteceu. “Foi um ensaio valendo, com um repertório incrível”, diz Marrone. Há tempos Bruno & Marrone buscavam canções inéditas e sentiam falta de um trabalho assim. Eduardo Pepato junto com os empresários e os artistas foram os responsáveis pela seleção."Eles escolhiam as melhores, separavam e guardavam pra gente ouvir. O primeiro diferencial é  que não tinha música minha", diz Bruno.

"Eu queria fazer o que tá rolando hoje, pra nós é indiferente fazer isso  A mudança aconteceu de dentro de mim, eu não me via cantando assim, tive uma mudança no meu psicológico, não que eu não gostasse....", comenta ele.

"O importante é que a voz do Bruno atingiu nosso objetivo e deu certo, a sorte dele é que com a voz dele , ele consegue emplacar vários estilos, a voz dele é bem comercial", explica Marrone.

"Quis gravar sem público, bem natureza e cantar música inédita para o público é muito ruim, não queria ninguém lá, não dá pra decorar as letras, tinha que ler...." sorri Bruno.

"Viemos do simples, a música sendo boa é que cai no agrado da galera. O que importa é o repertório", diz   Marrone.

"O que tá rolando hoje, esse diferencial acústico vem bem da nossa referencia,. O sertanejo teve muito preconceito, era muito agudo, meu timbre sempre foi diferente. Depois com as outras duplas, o estilo começou a crescer", comenta Bruno.

Brincando em bate papo com a dupla, perguntei ao Bruno se ele tem uma canção preferida no CD, ele respondeu sorrindo.... "Gosto de todas, depende do meu grau do fogo que eu to", gargalhou o cantor. "O CD tá romântico com uma pegada mais atual e a minha preferida é "Vou desligar", ela é mais romântica sem virar arroxa".  Já Marrone disse que gosta da rádio Antena 1, músicas românticas. MPB, músicas mais calmas, principalmente quando está no carro.

 Como se tivessem voltado as raízes, a dupla soltou a voz em canções que parecem ter sido feitas especialmente para eles - e para o momento. “Chega de nove horas” e “Jogou pro alto” são convites para dançar; já o bolero da vez fica por conta de “Trégua”. Enfim, um repertório que, embora inédito, revisita a melhor versão de Bruno & Marrone.

A dupla está gravando um trabalho em espanhol e querem escolher um País da América do Sul para lançamento. "Temos esse plano de fazer isso e estamos procurando parcerias, mas vamos lançar. O Brasil recebe mais as pessoas de fora, do que eles as nossas lá, mas vamos tentar, não custa nada", conclui Bruno.

 Quanto ao show de estreia dessa turnê, "vamos cantar o que o povo quer ouvir mesmo e do CD e DVD novo, só duas por enquanto", diz Bruno. Uma das mais pedidas é "Dormi na Praça" mas " a música é tão forte, que a gente não enjoa não, letra contagiante",  afirma Marrone.

Enfim, um trabalho sertanejo em ambiente simples, rústico e completo com a cara do Brasil.

Texto: Tânia Voss (colaboradora do Cartão de Visita)

Fotos - Cris Minutella

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.