Sexta-Feira | 4 de Agosto de 2017 | 9h43

Dizer NÃO emagrece

Pessoas que sofrem de compulsão alimentar normalmente são tidas como boazinhas pela sociedade. 

São incapazes de dizer Não a qualquer pedido ou pessoa e passam a controlar tudo com mão de ferro, para evitar erros ou julgamentos.

Ajudar pode ser uma boa característica, mas sem escolhas, este comportamento provoca uma grande Ansiedade.  Cansadas  e sempre com a frase “eu tenho muita coisa para fazer” na ponta da língua, estas pessoas  acreditam que passam os dias comendo o pão que o diabo amassou; para compensar, engolem tudo que a padaria produz como acompanhamento.

Para o compulsivo alimentar, a  comida não é uma ferramenta para manter o corpo em funcionamento. Ela passa a ser um  veículo para esconder o que não queremos enxergar. E quanto mais comida, mais escondido estará o que não querer ver.

“Para quebrar este círculo vicioso só focando o olhar na direção de nossas próprias emoções”, revela a psicóloga e coach Cintia Seabra,  especializada em compulsão alimentar.

Cintia faz esta afirmação após se tornar uma das referências em emagrecimento no país. “A maioria de minhas pacientes já tentaram de tudo. Inclusive a cirurgia bariátrica” conta a psicóloga. “Sem tratar as emoções, o efeito sanfona vira um pesado companheiro para toda a vida”, atesta.

Emagrecimento X Ansiedade

Não dá para negar os enormes prejuízos para quem enfrenta a compulsão alimentar: baixa autoestima, complicações de saúde, expectativa de vida reduzida, indisposição, vergonha e falta de esperança são elementos comuns neste cenário.

Normalmente as  pessoas que sofrem de compulsão alimentar passam a vida utilizando os métodos tradicionais como dietas variadas, programas baseados em atividades físicas ou medicamento, sem efetivamente se livrar do  conhecido efeito sanfona (emagrece – engorda).

“Sabemos que para gerenciar bem o peso é preciso gerenciar bem a vida, que deve ser contemplada como um todo” fala Cintia Seabra, após anos de estudos.

Aspectos como relacionamentos, vida profissional, finanças, saúde, qualidade de vida e lazer devem ser incluídos num programa de emagrecimento. Desequilibrados, estes aspectos  são grandes geradores da Ansiedade, esta sim a grande causa da compulsão alimentar.

A Ansiedade nos tira do Presente, a chave para uma vida mais leve. Do passado temos fragmentos e o futuro não existe. Ao tramitar entre estes dois opostos deixamos de  aproveitar o aqui e o agora.

“Para vivermos o presente temos que fazer escolhas e isso significa saber exatamente o que queremos, o que nos é caro e importante.  Por  isso, tratar as emoções é fundamental. ao  termos uma meta clara, nos livramos do peso de não conseguir  dizer não, inclusive para a comida”, resume a Dra. Cintia Seabra.

  Cintia Seabra

 

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.