Terça-Feira | 20 de Junho de 2017 | 22h59

Dias Gomes escreveu a primeira novela que teve como tema a poluição ambiental

 

O horário das 22 horas foi sempre propício para que a TV Globo explorasse temas mais sérios e controversos durante toda a década de 70. E uma das novelas de maior impacto na sociedade, mas não de maior audiência em contrapartida, nessa época, foi “Sinal de Alerta”, lançada em julho de 1978.

De Dias Gomes em parceria com Walter George Durst, ela foi a primeira novela brasileira a ter como tema central o perigo da poluição ambiental nas grandes cidades, e tratou o tema com muita responsabilidade e um texto perfeito da dupla de grandes autores de novelas.

O público, no entanto, não comprou a história com muita facilidade, e a audiência não chegou a ser aquela esperada pela emissora, com a novela tendo uma duração relativamente curta, com apenas 112 capítulos.

Mais um bom trabalho de direção de Walter Avancini, aqui auxiliado por Jardel Mello, que fez com que a novela agradasse mais a crítica especializada do que o público de maneira geral.

Outra razão talvez para a novela não ter o mesmo sucesso de outras atrações do horário que a antecederam, foi o fato de que ela enfrentou o horário eleitoral gratuito em 1978, o que fez com que vários capítulos de “Sinal de Alerta” só entrassem no ar às 23 horas, o que para a época afastava muito o grande público da TV.

A história mostrava um empresário de uma fábrica de fertilizantes que se tornava alvo central de uma campanha em defesa do meio ambiente, conduzida na imprensa por sua ex-mulher, uma jornalista de renome na área. Ainda no enredo, operários da referida indústria que se revoltavam contra as condições de trabalho e a poluição; intelectuais que também apoiavam os protestos e uma noiva do empresário que se envolvia com drogas.

Para viver o empresário Tião Borges foi escalado o veterano Paulo Gracindo, em mais um grande trabalho de interpretação. A jornalista e ex-mulher foi vivida por Yoná Magalhães, outro destaque da novela, enquanto a noiva problemática do empresário ficou com a bela Vera Fischer.

No grande elenco destaques ainda para Jardel Filho, Isabel Ribeiro, Bete Mendes, Carlos Eduardo Dolabella, Ruth de Souza, Milton Gonçalves, Ruy Rezende, Eduardo Conde, Vanda Lacerda, Elza Gomes, José Augusto Branco, Nelson Caruso e Dorinha Duval.

Algumas participações especiais, de personalidades como o arquiteto Oscar Niemeyer, valorizaram os depoimentos sobre a necessária preservação do  ecossistema e foram inseridas no decorrer da novela.

Foto 1 - A novela de Dias Gomes e Walter George Durst estreou em julho de 1978

Foto 2 - Vera Fischer e Paulo Gracindo defendiam os principais papéis da novela

Foto 3 - Elza Gomes e Yoná Magalhães em cena da novela das 22 horas

Foto 4 - Yoná Magalhães e Jardel Filho formaram outro par da história

Foto 5 - Eduardo Conde e Bete Mendes também tinha papéis de destaque

Foto 6 - Ruth de Souza e Isabel Ribeiro interpretavam as operárias que se revoltavam

Foto 7 - Paulo Gracindo e Eduardo Conde em cena da primeira novela ambientalista

 

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.