Segunda-Feira | 12 de Junho de 2017 | 16h27

Com público de 55 mil pessoas, João Rock tem edição 2017

marcada por encontros e retorno de Pitty aos palcos

19 atrações se apresentaram em três palcos: João Rock, Fortalecendo a Cena e Palco Brasil – Edição Nordeste

A 16ª edição do João Rock, realizada no último sábado, 10 de junho, em Ribeirão Preto, reuniu mais de 55 mil pessoas no Parque Permanente de Exposições da cidade.

O palco João Rock começou com os dois grupos vencedores do Concurso de Bandas do evento, NDK, de Jundiaí e Machete Bomb, de Curitiba, que se apresentando individualmente e depois em conjunto. A programação seguiu com Armandinho, que trouxe o reggae de Porto Alegre para o evento. “Com esse estilo queremos passar uma mensagem bacana para as pessoas de positividade, de fé”, disse o cantor, que ainda aproveitou e assistiu ao show de Alceu Valença no Palco Brasil o qual descreveu como “um dos melhores shows da minha vida”.

Humberto Gessinger tocou clássicos que fizeram sucesso com a banda Engenheiros do Hawaii, como “Infinita Highway”, “Dom Quixote”, “Pra ser sincero” e outros. Um dos pontos altos do show foi a participação de Dinho Ouro Preto, da banda Capital Inicial, cantando a música “Olhos Certos”.

Nando Reis apresentou seu show Jardim Pomar que misturou músicas do último CD como “Só Posso dizer” que foram acompanhadas pelo público como “Marvin”, “Relicário”, “Do seu Lado” e “Sutilmente”.

A programação seguiu com os veteranos do festival, CPM 22. O show teve um gosto especial para Martin, de 5 anos, filho do guitarrista Luciano que comemorou seu aniversário junto com a banda no palco com direito a parabéns, cantado por todo o público.

Um dos momentos mais aguardados da edição, o retorno de Pitty aos palcos depois da maternidade, agitou a galera. A baiana mostrou que, não só está com os vocais afinados, mas também com a energia de sempre. A cantora relembrou clássicos de toda a sua carreira como “Na Sua Estante”, “Equalize”, “Me adora”, “Máscara”, “Serpente” e “De um Rolê” - que foi tema de abertura da novela Rock Story. “É um orgulho e uma honra, depois de tudo estar aqui nesse palco de volta”, declarou.

Capital Inicial começou em tom político nos palcos do João Rock acompanhado pelo público que refletiu cantando “Que país é esse?”. Dinho ainda prestou homenagem ao músico Chorão e à banda Charlie Brown Jr. cantando as músicas “Proibida Pra Mim” e “Me encontra”.

O palco João Rock ainda recebeu O Rappa, que neste ano está em sua última turnê. Encerrando o Festival, Emicida cantou e convidou Vanessa da Mata, Rico Dalasam, Raphão Alaafin, Muzzike, Drik Barbosa e Coruja BC1 para participações especiais. Outro encontro que surpreendeu o público foi com a cantora Pitty, que cantou a música “Hoje Cedo“ ao lado de Emicida. Outro momento alto do show foi a apresentação da música Mandume com a participação de todos os convidados.

Uma homenagem ao Nordeste

Com a participação de artistas vindos da parte alta do Brasil, o Palco Brasil – edição Nordeste trouxe um mix de nostalgia e clássicos da cultura nordestina. Zé Ramalho abriu seu show com “Beira Mar”, “Taxi Lunar” e “Chão de Giz” sendo acompanhando pelo público. "É um prazer estar de volta ao João Rock. Este lugar de uma energia muito boa. Festival da música, da alegria e da amizade.", declarou

Uma verdadeira sintonia com o público. Assim pode ser resumido o show de Alceu Valença em sua primeira apresentação no João Rock. No repertório, “Galopango”, “Anjo de Fogo”, “Anunciação”, “Morena Tropicana”, e outros sucessos.

“O rock está mais vivo do que nunca? Sim!”. E assim Lenine abriu seu show. O cantor aproveitou a oportunidade e assistiu Alceu Valença, que nunca tinha tido a oportunidade de ver. “O Festival é importantíssimo, acontecendo principalmente nesta região, onde existe uma predominância da música sertaneja. Tem a importância também de aglutinar num período muito curto muitas bandas”, disse.

Encerrando o palco, a banda Nação Zumbi levou o público ao delírio com “Macaratu Atômico”, “Quando a Maré Encher” e “Manguetown”. “É muito legal retornar e ver que a estrutura aumenta a cada edição. Não só pelas bandas que participam como também pela organização e público”, disse o vocalista Jorge dü Peixe.

Para fortalecer a cena

Trazendo e ressaltando a cena independente do rock nacional, no palco Fortalecendo a Cena passaram as vozes das bandas Selvagens à Procura da Lei, Medulla, 3030, Cidades Verdes Sounds e Haikaiss.

Esporte e outras atividades

O João Rock 2017 ainda contou com a sua tradicional arena de esportes radicais com a pista de skate, onde o campeão mundial Mineirinho marcou presença e chamou a atenção do público com manobras ousadas. O Festival também teve voo cativo de balão e a oportunidade ao público para fazer tatuagens em um estúdio rotativo.

Pitty levantou o público com seus clássicos 
(Crédito: Agnews)
comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.