Terça-Feira | 4 de Abril de 2017 | 22h33

Pão com Ovo

Após apresentações em Portugal, recorde de público no Nordeste e duas temporadas de sucesso no Rio de Janeiro, a Santa Ignorância Cia de Artes estreia em São Paulo a comédia Pão com Ovo no Teatro Itália no dia 07 de abril. O espetáculo já foi visto por mais de 700 mil espectadores, desde a sua estreia em 2011 e já passou por 06 estados.

A peça Pão com Ovo foi encenada a partir da dramaturgia do ator e da mímesis corpórea. A pesquisa feita pelos atores da companhia foi realizada por dois anos em um estudo de observação do corpo das mulheres brasileiras moradoras de áreas nobres e de periferia, além de um estudo de dança de ritmos populares como o brega, funk, o tecnobrega e o forró em casas de festas populares de bairros populares. 

A comédia retrata de forma bem humorada situações dos costumes e hábitos das diferentes classes sociais, contando a história das personagens, Dijé (Adeílson Santos), moradora de bairro da periferia, o seu marido Zé Maria (Charles Jr.) e Clarisse, (César Boaes) uma emergente alpinista social.

Amigas de escola que se reencontram anos depois e falam de coisas engraçadas do cotidiano das suas vidas, retratando de forma bem humorada o atendimento nas empresas púbicas e privadas e os hábitos e costumes de determinadas classes sociais.

 

Os três atores se revezam em vários personagens em uma estrutura simples para facilitar a montagem e o acesso da peça a qualquer espaço cênico, sem no entanto, perder a qualidade com as composições dos personagens. Uma linguagem direta e simples, mas sem apelações fáceis e sem linguagem chula. As falas e diálogos surgidos nos ensaios e de improviso, estão somente memorizadas pelos atores em um texto escrito.  

 

A peça é adaptada para cada cidade onde é apresentada com uma rápida pesquisa, sobre bairros, nomes de famílias tradicionais, linguajar e costumes.

 

O espetáculo Pão com Ovo é um texto de Adenílson Santos e César Boaes que também assina a direção.

 

FICHA TÉCNICA:

 

Autor: Adenílson Santos e César Boaes

Direção: César Boaes

Elenco: Adenílson Santos, César Boaes e Charles Jr.

Figurinos:  criação coletiva

Cenografia: César Boaes

Desenho de luz: Djair Barros

Produção local: Dan Rosseto e Fabio Camara

Assistente de produção: João Jullo

Operador de luz: Bob Lima

Operador de som: Iasmine Lima

Designer gráfico: Hudson Santos

Fotos: Ayrton Vale e Rafaela Gonçalves

Assessoria de imprensa: Fabio Camara

Realização: Santa Ignorância Cia. de Artes

 

SERVIÇO:?

 

LOCAL: Teatro Itália, (Av. Ipiranga 344 – República). 290 lugares.

DATA: 07/04 até 28/05 (Sexta 21h30, Sábado 21h e Domingo 19h) 

INFORMAÇÕES: 3255-1979

VENDAS PELA INTERNET: www.compreingressos.com

VENDA POR TELEFONE: 11 2122.2474 

INGRESSOS: R$ 50,00 (Sexta) R$ 60,00 (Sábado e Domingo).

DURAÇÃO: 90 min 

CLASSIFICAÇÃO: 12 anos

 

SERVIÇO: 

 

Santa Ignorância Cia. de Artes - Entidade de produção artística que surge no cenário cultural em 1997, a partir da necessidade de desenvolvimento das artes cênicas através do teatro de grupo com o objetivo de pesquisar a arte do ator/dançarino, o teatro, a dança, a performance e a música para a cena. A socialização dos resultados obtidos é feita através de montagens de espetáculos, oficinas, encontros e parcerias com comunidades e grupos nacionais e locais. A Cia. Subdivide-se em duas frentes de pesquisa sendo uma direcionada para a o desenvolvimento das capacidades técnicas do ator/ dançarino e a montagem de espetáculos adultos e infantis, e outra, para a pesquisa do movimento e dança contemporânea. A Cia. tem como principais características os processos de direção colaborativa, montagens com diretores convidados e criação de espetáculos solos, resultados dos processos individuais que se desenvolvem a partir do trabalho coletivo. É parceira na realização do Conexão Dança Contemporânea, festival nacional que já realizou quatro edições, e mantenedora da Casa Arte das Bicas, onde desenvolve projetos de capacitação e apreciação artística e comunidade da ilha de São Luís.

 

César Boaes - ator, diretor e produtor. Faz sua estreia nos palcos com o espetáculo “Pluft, o Fantasminha” de Maria Clara Machado. Profissionaliza-se e encabeça o elenco como um dos protagonistas das óperas populares “O sonho de Catirina” de Chico Maranhão e “Catirina” de Josias Sobrinho e Papete, em ambas vivendo o personagem Pai Francisco, sob direção de Marcelo Flecha e Fernando Bicudo. Mais tarde, inicia seus estudos de ballet clássico com Antônio Gaspar e começa sua pesquisa de danças populares nordestina, estreando como dançarino o espetáculo “Nordestenamente”. Excursiona com os espetáculos “Catirina” e “Nordestenamente” para Brasília no Teatro Nacional e fazendo temporada de dois meses no Rio de Janeiro no Teatro Carlos Gomes. É membro secretário da Santa Ignorância Cia. de Artes, da qual participa dos espetáculos “O boi e o burro a caminho de Belém” de Maria Clara Machado com direção de Urias de Oliveira, e “ A morte do boi desmiolado” texto de César Teixeira e direção coletiva e “O cavalo Transparente” de Silvia Ortof. Desde 2008 é diretor do Grupo de Teatro Alegria e Arte do Cidadão formados por servidores públicos do Estado onde dirigiu os textos O desejado e Os dois amores de Lampião, ambos de Francisco Pereira da Silva. No cinema participou como ator dos longas “Carlota Joaquina – Rainha do Brasil” de Carla Camurati e “O Dono do Mar” de Odorico Mendes. Além de fazer alguns comerciais publicitários para televisão.

 

Adeílson Santos – Ator e o produtor, começou sua carreira artística em 1999 com o espetáculo “Uma Linda Quase Mulher” uma comédia de grande sucesso de público ainda hoje em temporada. Em seguida protagoniza o musical “Catirina” da Cia. Ópera Brasil com direção geral de Fernando Bicudo, fazendo o papel título de Catirina. Já em 2005 participa do espetáculo “Ana Jansen na Visão do Mamulengo”, de Joana Bitencourt com direção de Urias de Oliveira. Como ator da Santa Ignorância Cia. de Artes participa dos espetáculos “O Boi e o Burra a Caminho de Belém” de Maria Clara Machado, “O Cavalo Transparente” de Sylvia Orthof e “A morte do Boi Desmiolado” de César Teixeira. Ganha em 2009 o prêmio de melhor ator pelo Sated –MA com o espetáculo “Uma Linda Quase Mulher 2”. Em 2012 ganhou o prêmio de melhor ator pelo Sated - MA com o espetáculo o espetáculo Pão com Ovo. No cinema participou do filme “O Dono do Mar” de Odorico Mendes.

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.