Quarta-Feira | 22 de Março de 2017 | 21h16

Líder islâmico no Brasil Sheikh Houssam al-Boustani propaga mensagem de paz

na abertura do Festival SACA 2017

Cerimônia solene aconteceu no Museu da Imagem e do Som (MIS) para marcar o início do VIII Festival Sul-Americano da Cultura Árabe-África, que promove manifestações culturais e incentiva a paz, por meio da aproximação dos povos

 

Sheikh Houssam al-Boustani durante a abertura oficial do Festival SACA 2017

 

Na noite de 18 de março, aconteceu, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS), a abertura oficial da 8ª edição do Festival Sul-Americano da Cultura Árabe-África (SACA), organizado pela BibliASPA - biblioteca/centro de pesquisa e cultura que impulsiona a reflexão sobre os povos árabes, africanos e sul-americanos, e atende centenas de refugiados. O evento acontece até 31 de março, com diversas atividades e atrações culturais espalhadas em vários pontos da capital paulista e em cerca de 20 cidades do estado de São Paulo e do exterior, como Buenos Aires - Argentina. A abertura solene contou com destacadas apresentações artísticas, que tinham como mensagem principal a paz entre os povos.

 

Um dos convidados da noite foi o líder islâmico no Brasil, Sheikh Houssam al-Boustani, que fez um pronunciamento em nome do amor e da tolerância. Ele disse que, no Brasil, “a voz do carinho está reinando sobre a voz dos tanques militares, por ser uma terra magnífica, que junta cada vez mais todas as pessoas de qualquer segmento cultural e religioso. Sou libanês, líder religioso do islamismo e acredito na cultura da paz e do amor, pois Deus é amoroso, misericordioso e perdoador; cabe a nós, cada vez mais, aproximarmo-nos e deixarmos que as músicas falem mais alto que as guerras. Deus abençoe todos aqui no Brasil e derrame sua paz, principalmente, em cima das regiões de guerra, conflito e miséria. Assalamu Alaykum (que a paz esteja convosco)”, concluiu Houssam al-Boustani.

 

O encontro também contou com o prestigiado show do grupo de poesia, literatura e música, Chama Poética, que fez uma mescla de apresentações com instrumentos e voz, e declamações de poemas. A exibição foi bastante aclamada. Logo em seguida, três professores imigrantes da BibliASPA recitaram poesias originárias de suas culturas. O arqueólogo sírio Ahmad Serieh declamou um poema em árabe, o marroquino e militante político Hamza Youguertene Mouridi leu um texto em berbere e outro de sua autoria em francês, a professora chilena Mariela Pizarro Sippa proferiu a poesia “Ni uma más”, de Zélia Lopes, em espanhol, e a estudante de língua árabe da BibliASPA Luciana Pereira da Silva recitou trabalhos de dois poetas árabes: Mahmud Darwish e Nizar Qabbani.

 

O maestro sírio Aysar Makaren também esteve presente no evento, onde fez uma apresentação musical com teclado; e a companhia de dança árabe Cilene Narin Tribal Fusion exibiu um belo número à plateia, seguida da performance “Baquaqua – Homem de Fé”, interpretada pelo artista Hélio Lima, sobre um ex-escravo, o Baquaqua, que morava no norte da África e foi sequestrado e levado ao Brasil para ser escravo. Ele conquistou sua liberdade quando foi transportado aos Estados Unidos.

 

Durante toda a cerimônia, ocorreu, do lado de fora do auditório, a exposição “Reflexos”, do artista plástico Cassiano Araújo.

 

Sobre o Festival SACA

 

Com o intuito de promover as manifestações culturais árabes, africanas e sul-americanas no estado de São Paulo e fortalecer o vínculo entre os países desses três eixos culturais, com base no respeito à diversidade e nos laços históricos e sociais, além de incentivar a paz, por meio da aproximação dos povos, a BibliASPA promove, anualmente, o Festival Sul-Americano da Cultura Árabe-África (SACA). A programação é rica, diversificada e engloba uma extensa variedade de atividades e atrações, que atendem ao interesse de pessoas com perfis e idades distintas.

 

A cada edição, o festival recebe acadêmicos, pesquisadores, artistas, profissionais da área de comunicação e a sociedade civil como um todo. Neste ano, dentre as dezenas de atividades que acontecem, destaca-se o Seminário Internacional sobre Migrações, Refúgios e Deslocamentos, uma excelente grade de palestras com renomados especialistas, oficinas de artesanato, gastronomia e dança, exposições de caligrafia, mostra de filmes, contação de histórias infantis, saraus e muito mais.

 

Além de autoridades, nacionais e internacionais, os convidados principais dessas atividades são os refugiados de países que estão em guerra ou outras situações de vulnerabilidade, como Síria, Iraque, Nigéria, Senegal, Marrocos, Colômbia, Haiti, entre outros. Eles são os maiores disseminadores das culturas de suas nações durante o evento.

 

Acompanhe a programação e participe das atrações!

 

Serviço

VIII Festival Sul-Americano da Cultura Árabe-África

 

Data: 18 a 31 de março

Local: Diversos pontos da capital paulista e em cidades do estado de São Paulo e do exterior

Entrada: Gratuita

Informações: https://festivaldaculturaarabe.wordpress.com/

 

Sobre a BibliASPA

 

A BibliASPA é um centro de pesquisa e cultura criado com o objetivo de promover a reflexão crítica por meio da pesquisa, produção e difusão sobre os povos árabes, africanos e sul-americanos. Para isso, congrega pesquisadores e acadêmicos de mais de 40 países e desenvolve cursos de língua, cultura, literatura, história, arqueologia, caligrafia etc., exposições, festival de arte, publicação de livros, pesquisas, consultoria para projetos especiais, mostras de cinema e teatro, bibliotecas especializadas e saraus, entre outras ações.

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.