Quarta-Feira | 1 de Fevereiro de 2017 | 9h46

Abertura do Ano Judiciário de 2017

2017 começa a todo o vapor, oficialmente, hoje (1º) no Judiciário paulista. Diferentemente dos anos anteriores, desta vez, a tradicional cerimônia de “Abertura do Ano Judiciário”, será singela, rápida, com transmissão ao vivo pela internet e antecederá a primeira sessão do Órgão Especial (formado por 25 desembargadores: o presidente, doze dos mais antigos e doze eleitos).

O maior Tribunal de Justiça do Brasil conseguiu em 2016 bater por duas vezes (junho e agosto) recordes de produtividade. Para dar continuidade a esse resultado, com o advento tecnológico – hoje não se cadastra nenhum processo físico, só digital –, a Presidência tem investido maciçamente na qualificação de seus servidores. Projetos como o “100% Digital”, o “Justiça Bandeirante” e o “Judiciário Eficiente” estão colocando São Paulo na vanguarda.

Não é só a economia de tempo para a população e uma Justiça mais rápida que tem movimentado o Tribunal de Justiça de São Paulo, a sustentabilidade e a questão ambiental também estão em pauta. No ano passado, o “TJ Sustentável” envolveu todos os prédios do Judiciário com economia de água, telefone, descartáveis e energia elétrica. Afinal, atualmente, além da vara da Capital, o Estado de São Paulo conta com 319 comarcas e 1.501 varas instaladas. São 357 desembargadores e 2.180 juízes de 1ª e 2ª instâncias para dar conta de 20 milhões de processos em andamento e o Tribunal de Justiça de São Paulo não quer ser o maior do Brasil, quer sim ser o mais próximo da população porque questões de família, infância, improbidade administrativa, crimes, violência contra a mulher, audiência de custódia, júri, entre tantas outras, chegam todos os dias às telas de seus mais de 60 mil computadores.

Amanhã, às 13h30, os integrantes do Conselho Superior da Magistratura (Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, presidente; Ademir de Carvalho Benedito, vice-presidente; Manoel de Queiroz Pereira Calças, corregedor-geral da Justiça; José Carlos Gonçalves Xavier de Aquino, decano; Luiz Antonio de Godoy, presidente da Seção de Direito Privado; Ricardo Henry Marques Dip, presidente da Seção de Direito Público e Renato de Salles Abreu Filho, presidente da Seção de Direito Criminal) darão o start para um novo período de êxito na magistratura paulista, benefício que recairá sobre a população que se socorre do Judiciário.

 

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.