Segunda-Feira | 10 de Outubro de 2016 | 20h42

Banda e V S ...

Por Cau Marques 

 

É cada vez mais comum ouvir essa sigla “V.S” quando se assiste um show ao vivo. Pra quem não é da área musical, mas gosta de curtir muitos shows por aí, vou tentar um breve explicação, ok?

Já tiveram aquela sensação, ao assistir um show, de querer procurar no palco o músico que está fazendo determinado solo, ou algum instrumento diferente que está ouvindo e não se sabe de onde está vindo o som? Vou dar um exemplo: em algum momento, ouve-se um som de banjo, ou violino mas ele não existe no palco.

Quando isso acontece, é porquê o artista está usando um artifício, que já nem é assim tão moderno, mas agora está sendo usado em larga escala, que chamamos de VS. Uma abreviação do termo em inglês para Virtual Soundtrack, que consiste em soltar o áudio de um ou mais instrumentos e até vozes previamente gravadas junto com o som da banda ao vivo, e por isso então, “virtual”.

Apesar de deixar a apresentação meio “engessada”, este sistema praticamente anula os erros de execução e harmonia, comum a todo ser humano que está no calor do momento desempenhando sua tarefa. Além disso, é usado também na sua função mais nobre que é “complementar” a base sonora das músicas. Imagine se toda música que tem 20 instrumentos de sopro e violinos tivesse que entrar 30 músicos para executar pequenas partes, isso é meio impraticável nos dias de hoje.

Portanto quando ouvirem uma música em um show ao vivo exatamente como ouvem no seu celular ou no carro, pode saber que está rolando a mesma gravação disparada por um aparelho de” VS” que tem todos os instrumentos gravados independentes e que apenas com a contagem do tempo da bateria, aliada a um clique eletrônico, faz tudo rolar ao mesmo tempo em perfeita sincronia.

Não pensem que por isso o show fica mais fácil. Ele fica mais preenchido e bonito, mas todos têm que estar muito bem ensaiados, por que como disse anteriormente, este sistema não admite falhas e se alguém perder o compasso, a música toda vai pro “vinagre”.

Alguns músicos o detestam, por pensarem não ser mais obrigatório a presença física do músico na hora do show, mas isso nem sempre é verdade. Quando ouvimos a música pronta ás vezes não percebemos que ao ouvir um violão, na realidade deve haver uns 5 gravados, e isto acontece com quase todos os instrumentos e em quase todas as músicas que ouvimos e conhecemos hoje.

Em resumo, a evolução sempre vem pra facilitar e descomplicar, cabe a nós usarmos os artifícios de maneira a não desvalorizar a arte e com sabedoria e dosagem corretas, tudo tende a ficar ainda melhor.

 

 

  

 

 

 

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.