Sexta-Feira | 7 de Outubro de 2016 | 10h20

Marcelo Wance

Ele tem 32 anos, é casado, 1 filho, carioca e morador do Complexo da Maré.

Há 4 anos deicidiu viver do seu amor: A fotografia!

Conta um pouco dessa sua história de amor pra gente Marcelo? 

Fotografia sempre foi uma paixão, porém, trabalhar com isso, era um desejo muito inatingível. Não tinha grana pra comprar uma câmera legal. Na época, eu era músico, tocava numa banda e tinha contato com uma galera que fotografava os eventos e shows undergrounds. Com eles, fui aprendendo de pouquinho em pouquinho mexer numa câmera DSLR; Sempre preferi tirar fotos de familia, do que posar. Esses eram meus 'treinos'. Até que, quando fui demitido do meu emprego, tive enfim, a oportunidade de comprar a minha primeira câmera, de segunda mão. Até pegar meu primeiro evento, que foi uma festa infantil, estudei e pratiquei por uns 3 a 4 meses. A partir disso, senti segurança para botar a cara!

Um bom trabalho se indica, foi assim com você?

Daquela festa consegui indicação para uma outra, e outra, e outra... Sentia a necessidade de me equipar, estudar mais e me aprimorar. Fui fazendo vários contatos e me oferecendo para parcerias, afinal, precisava de portifólio e experiências. Dessa forma, fiz várias festas infantis, 15 anos, casamentos, eventos com artistas e até newborn!

A fotografia é muito plural, e para iniciante, achava que não poderia me limitar a um gênero.

E como a música entrou nisso tudo?

Por gostar do universo musical, a emoção do fã com o ídolo no palco, a fotografia de show sempre me chamou atenção. O desejo de fotografar / ser fotógrafo de uma banda grande, sempre me atraiu muito. Numa dessas, foi aí que um amigo perguntou se eu conhecia a "Flash2rec', uma equipe de fotógrafos q cobre eventos pela zona norte do RJ. Curti a página e também sempre olhava as publicações, achava demais o diferencial deles, se comparado a outras equipes, a linguagem passada, espontaneidade captada pelos caras da equipe. Em 2014/2015, preferi não me candidatar pra vaga de fotógrafo. Deixei para 2016. Vi o post, montei meu portifólio e acabei entrando.. rs. Em meio a um trabalho e outro, quis o destino que me colocasse mais voltado para os casamentos. Fui trabalhando como segundo fotógrafo em vários, por diversas equipes e acabei pensando. Se posso trabalhar para os outros, pq não pegar por mim mesmo e assumir as responsabilidades sozinho? Devido a isso, há um ano e meio, tenho focado mais nessa área, que pela qual me chama muita atenção. É um evento ímpar, com emoções diversas e muito excitante (rsrs, pela adrenalina, os pontos certos, o 'te deixar ligado o tempo todo' para não perder nenhum detalhe) Graças a Deus, tenho realizado ótimos trabalhos, com lindas histórias registradas e já com alguns marcados para 2017 e quase inaugurando a agenda de 2018!

Referências?

Acompanho o trabalho de muita gente. Muito mesmo! De diferentes gêneros! Fotojornalismo, fotografias de shows, casamentos, documental, etc. Sou apaixonado pela espontaneidade. Criar é mágico! Pra mim, o menos, o mais simples, é mais! Observo isso em cada tema desse, e tento aplicar nas minhas fotos.. rsrs, é bem doido, mas acho que tá funcionando!

O que voce acha do cara que compra uma maquina e já se acha fotografo?

Hoje em dia, todo mundo já nasce fotógrafo! seja num celular, tablet, qualquer pessoa fotografa qualquer coisa. Aplicativos disponibizam filtros que já também te transformam em editor de imagens... O espaço, tem pra todo mundo. O fotógrafo famoso de hoje, já foi desconhecido ontem. Porém, o que discordo é a maneira que escolhem para entrar no mercado... os preços totalmente abaixo do mercado, sem o menor preparo, é o fator mais prejudicial e covarde. O público ao primeiro contato, escolhe o preço e deixa de lado a qualidade. Não se preocupa em conhecer o trabalho do profissional. Pra eles, 'qualquer um aperta o botão'.. Só depois do resultado final, é que se dão conta da besteira que fizeram, e é nessa que os amadores ou pseudo fotógrafos se destroem sozinhos.. pq quem tem qualidade, e profissional permanece.

Qual foi a maior dificuldade na fotografia?

Todo dia é uma dificuldade diferente. Vc ser vendedor não é fácil! Ter que vender seu produto todos os dias, conquistar novos clientes, manter os antigos, não é mole. Costumo dizer que fotografar é fácil, difícil é o depois: atende cliente, se reune com clientes, diagrama, manda cliente aprovar, refazm sai pra reunião, fecha contrato, obedece prazos de entrega... diante disso, clicar é o mais tranquilo dos serviços..

Onde pretende chegar ou levar sua fotografia? Qual seus planos?

O mais longe que eu puder! quero chegar perto das minhas referências, um Éverton Rosa da vida, e ver que posso ser concorrente dele.. É um sonho maluco? sim, até pode ser. Mas, sonhos são motivações diárias. Até outro dia, trabalhar com fotografia era inalcansável e hoje, trabalho e vivo disso. Basta acreditar! Meu planejamento é estar em constante evolução. Isso se aplica em tudo. Em estar aprendendo SEMPRE, sempre estudando, me atualizando para oferecer o melhor ao meu cliente. Espero aumentar meus clientes (rsrssr) e montar uma equipe fixa a partir de 2017. Bom falar disso, pq recrutei pelo Face, fotógrafos iniciantes. Estou recrutando alguns para levar para eventos que eu faço, para vivenciar na prática, como é o universo de um evento como esse. Acredito que essa troca, todo mundo ganha e aprende! E os que melhor se saírem, vão entrar na minha equipe!

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.