Segunda-Feira | 9 de Maio de 2016 | 18h18

O Clássico e o Sucesso ...

Boa semana amigos da música. O rádio toca uma música dos longínquos anos 90 inesperadamente no meio da programação e o tempo parece voltar... os romances perdidos ou vividos, as viagens e as baladas com os amigos, a turma toda saindo junto, a azaração ... até o cheiro de um momento é capaz de trazer aqueles tempos de volta, mas  somente em casos raríssimos, o mesmo artista ainda figura entre os sucesso atuais.

Já dizia Heráclito de Éfaso(540-470-ac), ...”um homem nunca se banha duas vezes no mesmo rio, porque na segunda vez nem as águas e nem o homem serão mais os mesmos....tudo flui.” Pode parecer radical, mas o  sucesso sempre é passageiro, não importa o que aconteça. Claro que continuamos a ouvir e a cantar músicas com mais de 10, 20, 30 anos ou ainda muito mais antigas, mas isto é a prova da existência do clássico e não do novo sucesso.

Salvo algumas pouquíssimas exceções, como por exemplo, a versão acústica de Hotel Califórnia (Eagles) e a mega vendagem do álbum The Hell Freezes Over , 20 anos após o seu surgimento. Hoje em dia, até a segunda onda desse sucesso já passou e mesmo quem curtiu o “resucesso” nos anos 90, já considera essa versão mais moderna um clássico.

Se no mercado mundial é assim, imagine por aqui? Somos testemunhas de ouvir por anos a fio, bandas de extrema qualidade, que já foram diversas vezes a número 1 do país, tentarem voltar a atingir o sucesso de outrora, mas tem sido praticamente impossível. SKANK, Jota Quest , Ana Carolina e Seu Jorge e por aí vai... é como se fosse possível a música “Fácil” voltar a tocar em todas as rádios do país como o sucesso do momento.

Alguns artistas ainda conseguem se reinventar e trazer seus novos sucessos para a faixa do horário nobre, assim como Roberto Carlos fez com “Esse cara sou eu”,porém nunca mais o sucesso de “Detalhes” vai se fazer presente como na época de seu lançamento. Resta para quem viveu a época ouvir e lembrar, mas para quem não viveu, apenas ouví-la como um clássico.

Assim como os dinossauros não desapareceram da face da terra e sim evoluíram nos milhões de anos seguintes até se tornarem os pássaros modernos, a música e a cultura funcionam da mesma forma, ela evolui... sempre. O passado deve sempre servir de base para a novidade, mas o passado por si só nem mesmo existe... ele é apenas um conjunto de arquivos que podem e devem ser abertos para orientar o presente.

Enfim, o clássico é um sucesso estrondoso que permanece impresso na alma de quem o ouviu em uma determinada época, e será sempre um CLÁSSICO, mas quase nenhum sucesso de hoje será o clássico do futuro.

Sucesso, é ouvir o “presente” e viver no mesmo presente, apenas lembrando do passado para somente planejar o futuro... e a música viverá para sempre em nós.  

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.