Sexta-Feira | 29 de Janeiro de 2016 | 12h53

FOLIA E SALTO ALTO: COMBINE OS DOIS, SEM PREJUDICAR A SUA COLUNA

Nem muito alto, nem muito baixo, saiba qual o melhor tipo de sapato para usar na ocasião



Ele está chegando. A maioria adora. Tem quem diga que o ano no Brasil só começa depois que ele passa: o Carnaval. Só de ouvir falar, tem gente que já sai sambando. As mulheres aproveitam a data para fazer aquela produção e subir no salto, sem hora para acabar. Mas, é bom ficar de olho, pois subir no salto pode, literalmente, fazer mal para a saúde da coluna. "É muito comum recebermos mulheres com dores nas costas, após uma festa na qual usaram saltos altos", afirma o ortopedista Pil Sun Choi, coordenador do Grupo de Cirurgia de Coluna Minimamente Invasiva do Hospital S. José da
Beneficência Portuguesa de SP.

A dor ocorre por que esse tipo de sapato desloca o centro de gravidade do corpo para frente, causando um desequilíbrio. Essa desproporção sobrecarrega as estruturas das vértebras causando uma curvatura excessiva da coluna para dentro, o que os médicos chamam de lordose lombar. Por isso, vale prestar atenção nas dicas abaixo. Para que o Carnaval deixe só lembranças boas e não uma nova doença.



O TAMANHO DO SALTO

O ortopedista explica que o salto ideal para o dia a dia, que prejudica menos à coluna, deve ter entre três e cinco centímetros. "Saltos maiores devem ser reservados aos eventos e, mesmo assim, a mulher deve estar preparada para ter dores nas costas e nos pés", diz.


OS TIPOS DE SALTOS - VANTAGENS E DESVANTAGENS


SALTO AGULHA

Esse tipo de calçado é menos confortável, porém, podem ser usados por mulheres que já estão acostumadas e não têm problemas em se equilibrar nesse tipo de salto.


SALTO BICO FINO

Esse salto favorece a formação de joanete, espécie de calo que se forma no dedão do pé. No entanto, pode ser usado, com moderação.


SALTO QUADRADO

Por ser mais confortável e dar estabilidade, esse tipo de salto é menos prejudicial do que os citados acima.


ANABELA

Caso o calçado tenha 10 centímetros de salto, ele pode provocar dor na planta do pé. Isso acontecer por que, nesse caso, 90% do peso do corpo são transferidos para a parte anterior do pé, causando um desequilíbrio.


SAPATOS SEM SALTO

Não há problema em usar, de vez em quando, mas esse tipo de calçado também pode fazer mal. A falta de apoio pode gerar lesões por sobrecarregar outras partes do corpo.


PLATAFORMA

Esse é o salto alto mais recomendado pelos médicos, justamente pela estabilidade que ele dá a coluna. No entanto, vale ressaltar: a diferença ente a parte anterior e posterior do calçado não deve ultrapassar quatro centímetros.


VAI FICAR MUITO TEMPO EM PÉ?

O médico recomenda, nessa situação, alternar o apoio dos pés, isto é, manter um pé esticado e outro ligeiramente dobrado, ora no pé direito e ora no esquerdo. Esse hábito irá retificar a lordose lombar e diminuir a sobrecarga
nas estruturas da coluna. 


SOBRE O GRUPO DE CIRURGIA DE COLUNA MINIMAMENTE INVASIVA DO HOSPITAL S. JOSÉ DA BENEFICÊNCIA PORTUGUESA (GCCMI)

Liderado pelo médico ortopedista Dr. Pil Sun Choi, o Grupo é referência nacional e internacional em cirurgia e técnicas minimamente invasivas e promove pesquisa e educação médica continuada de especialistas em coluna vertebral. O Grupo atua no Hospital São José da Beneficência Portuguesa e é composto pelos médicos Pil Sun Choi, Wilson Dratcu, Marcelo Perocco, David Del Curto e Pedro Pierro, Atuzi Mizi Junior e Luiz Meirelles.


PRÓXIMO EVENTO CIENTÍFICO DO GRUPO DE COLUNA DO HOSPITAL SÃO JOSÉ DA BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DE SP: Entre 28 e 30 de Julho de 2016, acontecerá o V COMINCO - Congresso Brasileiro de Cirurgia e Técnicas Minimamente Invasivas de Coluna -, no WTC Convention Center, em São Paulo. O evento será precedido de um Simpósio, no auditório do Hospital São José.

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.