Segunda-Feira | 25 de Janeiro de 2016 | 21h1

TJSC implanta processo digital na segunda instância

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) está a caminho de se tornar 100% digital. Na próxima terça-feira (26), os benefícios da adoção do processo digital começam a ser estendidos à segunda instância do Judiciário catarinense. Na prática, significa que os processos em papel estão com os dias contados no Estado. A entrada de novas ações e os recursos passam a tramitar somente em meio eletrônico.

 

Para O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) está a caminho de se tornar 100% digital. Na próxima terça-feira (26/1), os benefícios da adoção do processo digital começam a ser estendidos à segunda instância do Judiciário catarinense. Na prática, significa que os processos em papel estão com os dias contados no Estado. A entrada de novas ações e os recursos passam a tramitar somente em meio eletrônico.

 

Para operar com o processo digital, 1.005 servidores passarão por treinamentos presenciais. As primeiras capacitações começaram no dia 11 e se estendem até o dia 22. Estagiários e magistrados também passarão pelas aulas, previstas para os dias 26 e 27 de janeiro. Os cursos ocorrem em Florianópolis.

       A adoção do processo digital em segunda instância é gradativa e prevê quatro ciclos de implantação – iniciando já na próxima semana pelas câmaras criminais. A previsão é que até maio as câmaras cíveis, de direito público e comercial também contem com a tecnologia.

 

Justiça digital

 

O TJ-SC adota o Sistema de Automação da Justiça (SAJ) para a gestão dos seus processos há 20 anos. Desde 2013, as 111 comarcas (primeira instância) já operam com o processo digital.

 

“Com a implantação do Processo Eletrônico no segundo grau (IPE-SG), os benefícios serão estendidos e a troca de informações entre as instâncias será facilitada e mais célere”, explica Ilson Stabile, diretor-executivo da catarinense Softplan, empresa que desenvolve o SAJ em parceria com o TJ-SC.

 

Segundo o presidente do TJ-SC, desembargador Nelson Schaefer Martins, o fato de a Corte catarinense estar no caminho de se tornar 100% digital é um momento histórico. Já o presidente do Comitê Gestor de Informática (CGInfo), desembargador Jorge Henrique Shaefer Martins, acredita que os resultados que o Tribunal colhe agora estão embasados na evolução e nos investimentos contínuos em tecnologia.

 

Segurança, transparência no acesso às informações, fim do desperdício de milhares de folhas de papel, eliminação de necessidade de os advogados irem até os fóruns para peticionar, facilidade de peticionamento eletrônico e acesso aos autos digitais (que evitam deslocamentos do interior até Florianópolis) e julgamentos em sessões virtuais são outros resultados.

 

Aumento de produtividade

O desembargador Dinart Francisco Machado, membro do Comitê de Gestão de Execução Contratual, aponta a expectativa de aumento de 50% de produtividade dos servidores, a exemplo do que ocorreu no primeiro grau.

 

O SAJ também informatiza o processo digital dos tribunais de São Paulo, considerado o maior do mundo, do Acre, Amazonas, Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte, os quais representam, em conjunto, mais de 60% dos processos que tramitam na esfera estadual brasileira.

 

A ferramenta já passou por cinco ciclos de atualização tecnológica e incorpora facilidades para a automatização das rotinas jurisdicionais e administrativas que asseguram excepcionais ganhos de produtividade e otimização dos recursos de Tribunais de Justiça, Ministérios Públicos e Procuradorias estaduais e municipais.

 

Estudos da Softplan em parceria com os tribunais apontam 47% de ganho na taxa de vazão dos processos (taxa de congestionamento); 50% de aumento na produtividade de magistrados e 90% mais agilidade na tramitação dos processos.

 

Suspensão de prazos

 

 

O projeto IPE-SG atualizará a versão do SAJ3 para o SAJ5, que faz a gestão de todas as novas ações e recursos de forma digital concomitante aos processos físicos que já estão em tramitação. A migração de versão requer a suspensão dos prazos processuais, que ficou definida em reunião nesta quarta-feira. De 23 a 31 de janeiro, os prazos das câmaras criminais estarão suspensos.

 

A reunião foi comandada pelo desembargador Jorge Henrique Shaefer Martins, presidente do Comitê Gestor de Informática (CGInfo), e contou com a presença dos membros do Comitê Gestor e dos colaboradores da Softplan.

comentar

últimos comentarios

Seja o primeiro a comentar, complete o formulário ao lado e dê sua opinião.